Em três dias SENAD destrói mais de 85 hectares de maconha

Em três dias SENAD destrói mais de 85 hectares de maconha

COMPARTILHAR
Operação arrasa finanças do tráfico (Divulgação)

Antônio Coca

Com o apoio da Polícia Federal brasileira, a Secretaria Nacional Antidrogas do Paraguai (SENAD), a semana mais de mais uma fase da Operação Aliança que visa o combate ao plantio, comercialização e tráfico de entorpecente nas regiões fronteiriças entre o Paraguai e o Brasil, com cerca de 85 toneladas de área plantada da droga erradica.

Os trabalhos foram realizados em uma zona de floresta na Reserva Natural de Morombí, entre os departamentos de Caaguazú e Canindeyú. O trabalho dos agentes deve retirar do mercado negro da droga cerca de 255 toneladas de maconha que teriam como destino o Brasil, a Argentina e outros países da América do Sul.

Com a ajuda de helicópteros da Força Aérea do Paraguai, os homens da SENAD são deixados nas áreas usadas pelos traficantes para o plantio da droga, que geralmente são de difícil acesso e destroem as plantações e os acampamentos usados pelas pessoas contratadas para o preparo do solo, plantio, colheitas e preparo dos tabletes de maconha.

Durante semana foram encontradas oito áreas que totalizaram 85 hectares que poderiam produzir até cerca de 300 toneladas de maconha. Também foram apreendidos 150 quilos de maconha picada e destruídos e apreendidos maquinários e materiais usados no preparo do solo, plantio e colheita da droga. As autoridades paraguaias calculam que os traficantes tiveram um prejuízo de cerca de 7,5 milhões de dólares.

Narcoprodutores devastam matas na região.