Governo não aceita pressão e comércio de Pedro Juan continua fechado

Governo não aceita pressão e comércio de Pedro Juan continua fechado

COMPARTILHAR
Sem aceitar pressão, governo paraguaio opa pela vida da população.

Antônio Coca

Durante coletiva de imprensa na manhã desta terça-feira (5) o ministro da Defesa do Paraguai Bernardino Soto Estigarribia, disse que as lojas comerciais de Pedro Juan Caballero continuarão fechadas por tempo indeterminado para evitar o contágio pelo covid 19.

Na semana passada representantes da Câmara de Comércio estiveram reunidos com autoridades daquele país, solicitando a flexibilização das medidas de restrição impostas por um decreto presidencial que determina o fechamento das lojas e um controle rígido da circulação de pessoas entre o Paraguai e os países de fronteira.

Comerciantes e políticos locais pediam a abertura de pelos menos três ruas para a entrada e saída de trabalhadores, turistas e mercadorias principalmente entre as cidade de Ponta Porã e Pedro Juan Caballero.
De acordo com Estigarribia, a abertura representaria um enfraquecimento nas medidas de controle sanitário e o consequente aumento do número de infectados pelo coronavírus. Ele disse também que as mercadorias continuam entrando no Paraguai através dos processos alfandegários respeitando os limites impostos pelo decreto editado do governo federal.

Com isso as lojas, galerias, shoppings e outros estabelecimentos que recebiam todos os dias milhares de turistas e comerciantes em Pedro Juan Caballero continuarão com suas portas fechadas. O comércio local da cidade continua atendendo os moradores locais, mas a queda de receita já preocupa os empresários locais que tentam de todas as formas sensibilizar as autoridades sobre a necessidade se se combater a pandemia sem comprometer a economia.

Na linha internacional, abertura só do “lado de cá”.