Perícia aponta que policial foi morto com 36 disparos em Pedro Juan

Perícia aponta que policial foi morto com 36 disparos em Pedro Juan

COMPARTILHAR
Hugo Ronaldo, segundo policial morto no mesmo dia no Paraguai.

Antônio Coca

De acordo com informações do médico forense Marcos Prieto, o policial Hugo Ronaldo Acosta de 32 anos, foi morto com 36 impactos de projeteis 9 milímetros. Prieto disse que a principal causa da morte foi traumatismo craniado, já que Hugo levou vários tiros na cabeça. Ele também foi atingido no tórax, abdome e nos braços.

Hugo foi cercado por pistoleiros que estavam em uma caminhonete em uma das ruas do bairro San Juan Neuman quando seguia em um Voyage sem placas para a cidade de Cruze Bella Vista onde estava trabalhando ultimamente na 10ª Comissaria, depois de servir por algum tempo na 2ª Comissaria de Pedro Juan Caballero.

Logo depois da morte do policial uma caminhoneta Toyota Allion da cor azul, com queixa de roubo no dia 11 de setembro na cidade de Lambaré no Departamento Central, foi encontrada em chamas na Colônia Mafucci na periferia de Pedro Juan Caballero.

Logo após o crime, veículo encontrado em chamas.