Polícia antidrogas do Paraguai estoura laboratório de crack na Reserva de Itaipu

Polícia antidrogas do Paraguai estoura laboratório de crack na Reserva de Itaipu

COMPARTILHAR
"Laboratório" no meio da mata.

Antônio Coca

Agentes Especiais da SENAD – Secretaria Nacional Antidrogas do Paraguai, Escritório Regional em Salto del Guairá investigavam informações sobre pessoas que teriam montado um laboratório para “cozinhar” e assim aumentar o volume de crack em uma área da Reserva de Itaipu, nas margens do rio Piratiy.

Após os levantamentos, equipe acompanhada pelo procurador Vicente Rodríguez entrou na área e estourou o laboratório improvisado. Pelo menos três pessoas fugiram, aparentemente previamente alertadas por olheiros.

No local, foram encontrados 6 quilos e 930 gramas de crack em 7 moldes metálicos, além de recipientes com resíduos de drogas, balanças, espátulas, conchas, luvas de borracha, filme plástico, funis, balões, máscaras industriais, medidores de densidade, mangueiras e ácido muriático, entre outros elementos.

A droga encontrado pode ser fracionada em pelo menos 70 mil doses no campo do micro-tráfico. O promotor interino ordenou a transferência de todas as provas para a Base Regional SENAD.

Já mortal em estado original, rebatizado, o crack deve matar ainda mais depressa.