SENAD apreende mais de 400 quilos de de cocaína na região de...

SENAD apreende mais de 400 quilos de de cocaína na região de Porto Murtinho

COMPARTILHAR
Traficantes montaram grande estrutura no local.

Antônio Coca

Depois de vários meses de investigações, agentes da Secretaria Nacional Antidrogas do Paraguai (SENAD), desmantelaram nesta sexta-feira (17) um esquema de armazenagem e distribuição de droga que era trazida da Bolívia e tinha como destino final possivelmente a Argentina.

De acordo com informações, toda uma estrutura foi montada na em uma área rural do distrito de Toro Pampa, município de Alto Paraguai, cidade ao lado de Porto Murtinho no Mato Grosso do Sul. Uma pista clandestina recebia as aeronaves que eram reabastecidas de combustível e de droga que era trazida em uma van e seguia para a Argentina.

Aeronave tem tanque preparado para grande autonomia.

Quando os agentes invadiram o local foi apreendido uma aeronave Cessna com o registro ZP-TJE, que estava sendo preparado com a droga e reabastecido. O avião era pilotado pelo brasileiro Douglas da Silva Franco e tinha como copiloto o paraguaio Bráulio Daniel Sanabria Rodriguez.

O capataz da fazenda onde ficava a pista clandestina, o paraguaio Sérgio Rotela também foi preso. Outras três pessoas que estavam em uma van que tinha trazido a droga e o combustível para o abastecimento da aeronave conseguiram fugir. Eles teriam pulado do veículo em movimento e entrado em uma mata e desaparecido. A van também foi apreendida.

Durante a Operação Horizonte Boreal, foram apreendidos 425 quilos de cloridrato de cocaína que é a droga em seu estado mais puro e que a partir desta fórmula pode receber outros aditivos químicos diminuindo sua pureza, mas aumentando a rentabilidade do traficante na hora de vender para os usuários. Com isso este total poderia recender até cerca de uma tonelada e meia de cocaína no mercado consumidor. Já que de acordo com estudos e investigações para cada quilo de cloridrato de cocaína são produzidos três quilos de cocaína de qualidade comercial.

Os tabletes da droga estavam com a marca Playboy em alto relevo e a aeronave tinha um dispositivo para aumentar a capacidade de abastecimento o que permitia uma autonomia maior de voo. Foram apreendidos também aparelhos celulares, equipamentos de comunicação, documentos e anotações que podem ajudar na identificação de outros membros da quadrilha.

A promotora Elva Cáceres, que acompanhou a operação, ordenou a transferência dos presos, da droga e de todo material apreendido para a Base de Operações da SENAD em Assunção. Um avião da Força Aérea foi usado e desembarcou no meio da tarde na Capital paraguaia onde os presos estão sendo ouvidos. Segundo Elva Cáceres a operação causou um prejuízo de cerca de três milhões e meio de dólares aos narcotraficantes.

Pista longa, terraplenada e larga.