Canoata para unir pescadores e ribeirinhos na recuperação do leito e mata...

Canoata para unir pescadores e ribeirinhos na recuperação do leito e mata ciliar do Rio Dourados

COMPARTILHAR

Suspensa desde a pandemia da Covid-19, a 8ª edição da Canoata, que acontece anualmente voltará a ser realizada no dia 26 de novembro. A iniciativa do Clube de Imprensa de Dourados, em parceria com Rotary Clube Caiuás que reunir o maior número possível de voluntários que farão o replantio de mudas de árvores nas margens do Rio Dourados e a limpeza do leito. No evento, os organizadores vão dividir os participantes em grupos que irão fazer o reflorestamento, enquanto outros realizam a limpeza das águas. Na última ação, foram retiradas mais de duas toneladas de lixo, como pneus, geladeira velha, máquinas de lavar roupas e outros utensílios domésticos.

“Nós queremos chamar toda a sociedade para nos unirmos em defesa desse rio que está com as águas cada vez poluídas e contaminada e a cada dia com menos peixes. Além disso o Dourados vem sendo castigado pelo assoreamento. É por isso que temos nos preocupado também em fazer a recuperação das matas ciliares”, explica o presidente do Clube Imprensa, Hédio Fazan.

Além dos voluntários que moram em diversas regiões da cidade, no entendimento de Fazan, a participação dos ribeirinhos é de fundamental importância. “Os ribeirinhos hoje estão bem mais conscientes. Alguns deles dependem do rio e sabem que precisam cuidar dele. Se o rio acabar sua fonte de sobrevivência também se esgota”, pondera um dos idealizares da Canoata.

A água que jogam lixo, é a mesma água que bebem

Os organizadores também acreditam no trabalho de conscientização da população por meio de ações mais pedagógicas e que podem resultar na adoção de novos hábitos.  Vamos instalar placas de conscientização sobre os cuidados e respeito com a natureza”, comenta um dos membros do Rotary Clube Dourados Caiuás, Joaquim Ferreira Gonçalves Filho.

“Queremos que as pessoas que frequentam o local recolham ao menos o lixo que produzem. Para isso é preciso que elas entendam que a água onde jogam lixo, é a mesma água que eles vão beber em casa, afinal é o Rio Dourados que abastece nossa cidade”, ressalta Joaquim.

Tanto Hédio Fazan quanto Joaquim Ferreira também lembram que a concentração acontece no dia 26 de novembro, às 7h, no Trevo da Bandeira, de onde o grupo segue em carreata até o Rancho dos Ipês, antigo Rancho do Divino. As ações devem ser encerradas, segundo os organizadores, por voltas das 16 horas.

Como participar

A 8ª Canoata do Rio Dourados é aberta à toda a sociedade. As pessoas interessadas em doações, informações e participação do projeto, bastam entrar em contato com Joaquim do Rotary através do telefone (67) 98405-6244 ou com Hédio Fazan, do Clube de Imprensa (67) 99350-1889.