20 anos após crime em Cuiabá, assassino é capturado pela PM e...

20 anos após crime em Cuiabá, assassino é capturado pela PM e PF em Caarapó

COMPARTILHAR
Rodrigues segue para Cuiabá. Mato Grosso.

Condenado a 13 anos de reclusão por matar um homem em Cuiabá, Mato Grosso, foi preso em ação conjunta da Polícia Federal e Polícia Militar de Mato Grosso do Sul no fim de semana na cidade de Caarapó, Rodrigues Alves da Silva, de 38 anos, o “Amarelinho”.

Julgado, condenado e foragido por 20 anos, “Amarelinho” foi preso em cumprimento a mandado de prisão expedido pela juíza Monica Catarina Perri Siqueira, da 1ª Vara Criminal de Cuiabá. Ele foi recolhido à carceragem da Polícia em Caarapó e em seguida recambiado para Cuiabá.

De acordo com o Portal Leia Agora, o assassinato ocorreu no dia 11 de agosto de 2001, em Cuiabá, durante uma festa de aniversário de 15 anos. A vítima, feirante Jamil Lopes dos Reis, 25 anos, era namorado da adolescente, que anteriormente namorou “Amarelinho”.

Ele não aceitava o fim do relacionamento e alegava ter sido traído por Jamil, seu amigo antes de começar a namorar a garota. Rodrigues surgiu na festa de aniversário da ex-namorada e disse que tinha um presente para ela. Por volta das 23h, quando a adolescente e Jamil estavam na calçada, o homicida atirou várias vezes contra o rapaz, atingido com três tiros na cabeça e um no peito e em seguida fugiu.

Rodrigues, contou várias versões, uma delas, de que o crime não teria sido motivado por ciúmes, pois já teria cinco meses que havia terminado o namoro com a adolescente e estaria com outra pessoa. Ele alega ainda em depoimento que a vítima o teria ameaçado por não aceitar participar de roubos de carretas e no dia da festa se sentiu ameaçado ao ver Jamil colocar as mãos na cintura, por isso teria atirado alegando legítima defesa. No entanto, a versão foi desmentida por testemunhas relatando que “Amarelinho” atirou a sangue frio contra Jamil.

Foragido durante 20 anos e atualmente residindo em Caarapó, a fuga acabou na noite de sábado (30), depois que a Polícia Federal passou a informação sobre o paradeiro de Rodrigues à Polícia Militar que o localizou no trânsito e constatou o mandado de prisão em aberto por homicídio.