Acusada de matar o filho após o parto ganha liberdade

Acusada de matar o filho após o parto ganha liberdade

COMPARTILHAR
Manicure ficará em prisão domiciliar. (Foto: Adilson Domingos)

Antônio Coca

O juiz Luiz Alberto Moura Filho da 1ª Vara Criminal de Dourados, concedeu na tarde desta sexta-feira (1º) o benefício de prisão domiciliar, para a manicure de 21 anos acusada de matar o filho logo depois do parto em um salão de beleza onde trabalhava.

Depois de várias tentativas de aborto ela teria escondido a gravidez da família e dos amigos e na manhã do dia 17 de outubro entrou em trabalho de parto e depois de dar à luz acabou enrolando o cordão umbilical no pescoço do menino que foi morto por asfixia. O SAMU ainda tentou socorrer a criança, mas ela chegou morta ao Hospital Universitário.

Na última quarta-feira a acusada passou por Audiência de Custódia e teve a prisão mantida. Ela estava internada sob custódia na Ala Psiquiátrica do Hospital Universitário, mas ontem o magistrado que analisou a defesa apresentada pelos advogados dela considerou que a mulher tem outro filho para criar, tem endereço fixo e não oferece risco de fuga.

Com isso ela foi beneficiada com a liberdade provisória, para continuar respondendo ao processo na forma de prisão domiciliar.