Agentes federais acusados de promover pânico e quase tragédia em circo

Agentes federais acusados de promover pânico e quase tragédia em circo

COMPARTILHAR
Pânico e prejuízo no circo (Foto:Porãnews)

Uma ação de agentes da Policia Federal na noite deste domingo (27), em Ponta Porã, na fronteira com o Paraguai, provocou pânico ao público que estava no “Circo Di Sarah” que ao ver a invasão e sem saber o que acontecia tentou fugir do local o que fez com que várias crianças ficassem assustadas vivendo momentos de terror assim como os país que entraram em pânico diante da situação.

A ação segundo informações do jornal Porã News, seria para prender um homem que estava em meio ao público e que teria um mandado de prisão que os agentes federais, decidiram cumprir após uma briga ocorrida no interior de um bar na avenida Brasil em Ponta Porã. Na noite de domingo aos descobrirem que o homem, identificado como Thales Novaes Gimenes, 25 anos, autor supostamente de uma surra nos policiais, estava no circo decidiram cumprir o mandado de prisão ali mesmo.

Pessoas que estavam no circo relataram que viveram momentos de terror e o local ficou parecido a um campo de batalha com cadeiras quebradas espalhadas pelo chão, com o que o proprietário do circo instalado na linha internacional que divide a cidade paraguaia de Pedro Juan Caballero com Ponta Porã em Mato Grosso do Sul, terá que arcar com o enorme prejuízo causado pela ação inadequada.

Moradores da fronteira ficaram indignados e de imediato repudiaram a ação da Polícia Federal que consideraram desastrosa e cobraram das autoridades da cidade um posicionamento sobre o caso. Autoridades paraguaias afirmaram que solicitarão explicações ao cônsul brasileiro em Pedro Juan Caballero sobre a desastrosa operação policial em um local onde estavam vários cidadãos paraguaios com seus filhos e que a ação de alguns policiais apontados como despreparados não pode manchar o nome de uma respeitada instituição policial.