Agentes patrimoniais promovem carreata na capital contra terceirização

Agentes patrimoniais promovem carreata na capital contra terceirização

COMPARTILHAR
Trabalhadores decidem movimentação em defesa da categoria.

A segurança patrimonial do Estado, com mais de 20 anos de história e presença em 55 municípios faz carreata em protesto contra a contratação de terceirizados para substituir agentes patrimoniais nas escolas públicas estaduais de Mato Grosso do Sul.

O serviço de segurança patrimonial é prestado por servidores concursados, todavia o Estado não realiza concurso para o cargo há quase 20 anos. Este sucateamento da categoria, conforme denuncia o representante da Associação em Defesa dos Agentes Patrimoniais Públicos do Estado do MS (Adapp-MS), Márcio Almeida, é o responsável pela terceirização.

Outra crítica apontada por Márcio é direcionada ao alto custo anual do contrato firmado entre as empresas terceirizadas. O governo do estado vai pagar R$31mihões/ano, enquanto a segurança patrimonial já havia apresentado à administração pública através da Secretaria de Administração, um estudo que aponta o mesmo monitoramento com melhor qualidade ao custo de apenas R$ 2 milhões/ano. Segundo o representante, isso comprova que a política de terceirização não promove economia e eficiência na máquina pública.

Os agentes patrimoniais se reunirão na próxima sexta-feira (1), às 9h, e seguirão em carreata até a Governadoria no Parque dos Poderes. Outras manifestações devem acontecer nos próximos dias.