Artista de MS integra iniciativa inédita de valorização da educação por meio...

Artista de MS integra iniciativa inédita de valorização da educação por meio da arte

COMPARTILHAR

Com o objetivo de estimular a arte entre os mais jovens, a Escola Municipal Antonica Giroldo Franciosi, localizada em Arapongas, Paraná desenvolve uma iniciativa inédita, que contará com a participação do artista plástico sul-mato-grossense Cleir, que há um ano trabalha na cidade paranaense, construindo o maior acervo de obras de sua autoria.

Além das 13 esculturas de pássaros, que o artista já está desenvolvendo, Cleir agora fará um projeto inovador: a escultura de um lápis sobre uma folha de papel, simbolizando o saber. A escultura ficará na escola e contará com a participação de todos os estudantes e da comunidade.

“Ao ver a escultura de um pavão em frente à escola, procurei o Cleir e disse que era nosso desejo mudar, não só o brasão, como o slogan da escola e que para isso, eu desenvolvia um projeto com a participação dos alunos e pais, que culminaria em uma escultura que representasse o saber. Convidei o artista para que contasse sua história e para confeccionar a escultura”, conta a professora Jane Tacari.

O bate-papo com os alunos do Ensino Fundamental I ocorreu nos primeiros dias de junho de 2022 e, além de estudar a biografia do artista, os estudantes compreenderam o processo de criação de uma obra. Essa é a primeira vez que o artista, cujo trabalho em geral representa a fauna ou a cultura da região, será focado na área educacional.

“Seremos a única escola de Arapongas se não a do Paraná a ter uma obra que represente a educação. Estamos muito animados e felizes com esse projeto”, destaca a professora. Com mais de 30 anos de carreira consolidada em Mato Grosso do Sul, Cleir desenvolve obras em várias cidades, por meio da Canindé Produção Cultural. Em Arapongas, foi convidado pela Prefeitura Municipal a criar esculturas de pássaros típicos da fauna regional.

Conhecida como “Cidade dos Pássaros”, foi contemplada com 13 esculturas, sendo: pavão, duas araras, gaturamo, quatro arapongas, flamingo, duas andorinhas, rouxinol e gralha. Todas as esculturas têm entre 2 e 3 metros e contam com adornos representando a flora.

As obras já enfeitam a cidade, chamando atenção de moradores e turistas e agora, Cleir foi convidado ao novo desafio, de esculpir uma obra voltada à educação. “Participar dessa ação é muito importante, pois, marca o resultado do meu trabalho em Arapongas ao longo de um ano, com a certeza que a mensagem que eu passo de exaltação à natureza, teve resultado. É uma forma de ressaltar a vida”, avalia Cleir.

Somente em Mato Grosso do Sul, Cleir tem obras (entre esculturas e painéis) em Campo Grande, Bonito, Corumbá, Dourados, Três Lagoas, Ponta Porã, Rio Verde de Mato Grosso, Bodoquena, Aquidauana, Ladário e Bataguassu.

O artista se destaca por seu amor à fauna regional, exposta em detalhes em cada obra. O novo desafio encanta o artista, pela relação com a educação, temática de grande importância para Cleir, que já realizou mais de 60 palestras em escolas de Mato Grosso do Sul.

“Trabalhar neste projeto é uma forma de exaltar a vida e, fazer uma intervenção com os estudantes ajudando a construir a nova história da escola é incrível. Uma das minhas preocupações em meu trabalho é saber qual impacto vai causar na população e quando vejo as crianças perguntando, interagindo e observando, percebo que o objetivo foi alcançado. Essa interação engrandece a todos e muito me alegra saber que os futuros formadores de opinião estão conectados à arte”, finaliza Cleir.

Nas próximas semanas, o trabalho de interação com os alunos terá uma nova etapa para então, iniciar o processo de criação da obra. O trabalho do artista é desenvolvido por meio da Canindé Produção Cultural e conta com apoio de Jonathan Cavalcante, seu assistente há um ano em seu trabalho em Arapongas. 

Escultor Cleir Ávila

UNA Comunicação