Assembleia Legislativa institui a Medalha Licínio Moreira de Almeida

Assembleia Legislativa institui a Medalha Licínio Moreira de Almeida

COMPARTILHAR
Licínio Moreira (Foto: Marcelo Víctor/Reprodução arquivo Campo Grandenews)

A Mesa Diretora da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul oficializou hoje a criação da Medalha Licínio Moreira de Almeida, resolução publicada na edição desta quarta-feira (6) do Diário Oficial da Casa de Leis. A proposta da honraria foi apresentada pelo deputado Paulo Corrêa em homenagem Licínio Moreira de Almeida, escrivão, comissário e delegado da Polícia Civil ainda no Mato Grosso uno e de grandes serviços prestados à Segurança Pública até sua aposentadoria já por Mato Grosso do Sul atuando como delegado do antigo Setor e posteriormente Delegacia de Roubos e Furtos.

A honraria é destinada a homenagear profissionais da Segurança Pública, que tenham prestado serviços de relevância ao Estado. “A Segurança Pública é um dos pontos mais sensíveis das necessidades sociais, indicando que os profissionais que militam nessa área, ou aqueles que em torno dela gravitam para prestar colaboração com as instituições e profissionais desse setor, devem ser enaltecidos a cada instante”, afirma o deputado na justificativa da proposta. “É imperioso o desenvolvimento de uma cultura de reconhecimento e valorização social daqueles que, cotidianamente, prestam relevantes serviços ao corpo social, através da dedicação voltada para a defesa social”, acrescenta.

A honraria será concedida, conforme a Resolução, a delegados, investigadores e outros policiais e profissionais da Segurança Pública, que atuaram no confronto armado ocorrido em Coronel Sapucaia, na fronteira com o Paraguai, no dia 4 de dezembro do ano passado. O confronto foi com membros de uma quadrilha, que dois dias antes, agindo como verdadeiros guerrilheiros tentaram assaltar um carro-forte.

Licínio Moreira de Almeida, que dá nome à medalha, foi policial civil, nomeado, em 1969. Participou de importantes investigações em Mato Grosso do Sul e atuou em diversas delegacias. Ao se aposentar, era chefe da Delegacia de Abigeato (Furto de Gado).Também foi vereador em Campo Grande, de 1989 a 1992. Licínio morreu em 31 de julho de 2014, aos 67 anos, em decorrência de problemas cardíacos e diabetes.