Assembleia não aceita medidas cautelares e deputado Jamilson se livra de tornozeleira

Assembleia não aceita medidas cautelares e deputado Jamilson se livra de tornozeleira

COMPARTILHAR

A Assembleia Legislativa decidiu, por 18 votos a 2, livrar o deputado estadual Jamilson Name (sem partido) de duas medidas cautelares determinada pela Justiça: recolhimento noturno e monitoramento eletrônico. A informação é do portal O Jacaré. O deputado é acusado de integrar organização criminosa armada ao lado do pai, Jamil Name, e do irmão, Jamil Name Filho. Jamilson também virou réu por usar a Pantanal Cap para lavar dinheiro do jogo do bicho.

Conforme o portal, a decisão dos deputados deverá criar impasse entre os poderes Judiciário e Legislativo. Inicialmente, o juiz Roberto Ferreira Filho, da 1ª Vara Criminal de Campo Grande, havia determinado a consulta da Assembleia sobre as duas medidas cautelares.

No entanto, na sexta-feira (29), ele decidiu determinar a colocação de tornozeleira eletrônica no deputado imediatamente independente de decisão da Assembleia. O magistrado acatou pedido do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), que citou o caso da deputada federal Flordeliz, acusada de matar o marido e que passou a usar o adereço sem aval da Câmara dos Deputados.

Por 18 votos a 2, com duas abstenções, o legislativo concluiu que a tornozeleira eletrônica e o recolhimento noturno atrapalham o mandato de parlamentar e devem ser suspensos. Apenas os deputados Capitão Contar (PSL) e João Henrique (PL) votaram pelas medidas cautelares a Jamilson. Dois deputados se abstiveram de votar na sessão de hoje: Coronel David (sem partido) e Renato Câmara (MDB).