Bando suspeito de furtar R$ 800 mil de casas de chineses preso...

Bando suspeito de furtar R$ 800 mil de casas de chineses preso em Campo Grande, Brasília e São Paulo

COMPARTILHAR

A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) deflagrou, na manhã desta quarta-feira (17), uma operação para desarticular associação criminosa especializada em furtar residências de chineses em todo o Brasil. A operação denominada de Xangai, da Coordenação de Repressão aos Crimes Patrimoniais (CORPATRI) cumpre seis mandados de busca e apreensão em Campo Grande/MS, São Paulo (SP) e Brasília (DF).

De acordo com a polícias, o grupo atuava desde 2015 e já havia praticado furtos nos estados de São Paulo, Ceará, Pernambuco, Santa Catarina e Minas Gerais. Segundo os policiais, todos os suspeitos que foram presos possuem vínculos com criminosos já investigados pela Divisão de Repressão a Roubos e Furtos (DRF).

As investigações apontam que os criminosos invadiram sete apartamentos no Distrito Federal, sendo quatro em Águas Claras, dois no Guará e um em Taguatinga. Ao todo, foram subtraídos mais de R$ 800 mil das vítimas. Nos furtos da capital, o grupo alugava veículos na cidade de São Paulo e se passavam por parentes dos chineses e entregadores, enganando os porteiros dos prédios escolhidos. Logo em seguida, eles arrombavam as portas dos apartamentos.

O coordenador da Corpatri, delegado André da Costa e Leite, explica que os suspeitos tinham uma predileção por famílias chinesas por terem conhecimento que eles costumam guardar dinheiro em espécie nas suas residências. “Além do mais, alguns desses indivíduos envolvidos nessa organização criminosa possuem descendência chinesa”, afirma.

Operação

Ainda conforme a polícia, dois mandados de prisão preventiva foram cumpridos em Campo Grande, outros dois no DF e um mandado de prisão temporária em São Paulo, onde também foram cumpridos os mandados de busca e apreensão.

De acordo com os policiais civis, todos os presos foram indiciados por associação criminosa e sete delitos de furto qualificado. Segundo a DRF, esta é a terceira operação que alcança criminosos voltados, com permanência e estabilidade, ao furto e roubo de casas de chineses. A Operação Xangai é um desdobramento das operações Chengdu e Pequim, ambas deflagradas pela Polícia Civil.

Na Operação Chengdu, que ocorreu em maio de 2020, foram presos 12 criminosos. As prisões ocorreram nos estados de São Paulo, Ceará e Santa Catarina, entre os anos de 2016 e 2020. Os alvos da Chengdu furtaram 18 apartamentos de chineses no Distrito Federal. Já a Pequim, deflagrada em novembro de 2020, culminou na prisão de três criminosos na cidade de São Paulo, responsáveis por outros sete furtos de apartamentos de chineses no Distrito Federal. Todos os criminosos possuem conexão com os presos na manhã desta quarta-feira.