Batalhão de Choque da PMMS faz várias prisões e apreensões na Capital

Batalhão de Choque da PMMS faz várias prisões e apreensões na Capital

COMPARTILHAR
Apreensões em diferentes pontos da cidade. (Divulgação)

Neste final de semana o Batalhão de Choque da Polícia Militar em ações de policiamento preventivo/repressivo, até o começo da madrugada de hoje havia prendido 9 autores de diferentes crimes, apreendido 7 armas, três delas pistolas 9 milímetros de uso restrito, e entorpecentes.

Em policiamento no Bairro Aero Rancho, ao passar pela rua jornalista Valdir Lagos, equipe do BPMChoque abordou um veículo Fox, conduzido por indivíduo de 20 anos, posteriormente identificado e que ao perceber a presença policial se mostrou demasiado nervosismo.

Trêmulo, durante a abordagem tentou esconder algo no veículo, mas a manobra foi percebida e descoberto que ele estava com um revólver calibre 38 municiado. Tentou justificar dizendo ter comprado no Jardim Los Angeles autor, de um para se defender de um inimigo ameaçador. Foi relatar sua ameaça ao delegado de polícia e assinar flagrante.

Arma e drogas

Equipe do BPMChoque foi acionada através de denúncia anônima indicando que na rua West Point, no Bairro Danúbio Azul estaria sendo realizado tráfico de entorpecentes. Checando a informação os policiais descobriram a residência onde o morador Alexandre (19) realmente tocava o tráfico.

Quando notou a aproximação da viatura do Choque o rapaz tentou correr para dentro da casa, mas resolveu esperar a abordagem que resultou na prisão por tráfico. Com ele os policiais apreenderam 24 papelotes de cocaína e 28 trouxas de maconha com 150 gramas prontas para venda.

Mais arma

Por volta de 22h equipe do Choque em patrulhamento pelo Jardim Centenário ao entrar na rua Sabrina avistou três indivíduos suspeitos. Com abordagem aos homens e entorno deles vistoriado, foi encontrado um revólver “caído” perto deles.

Um deles se apresentou como dono da arma calibre 38 municiada e alegou ter comprado há um mês, por R$ 2,2 mil de um homem que conheceu apenas como “Negão” e era para se defender de um desafeto que vem lhe ameaçando há algum tempo. Foi entregue com a arma na Polícia Civil.

Várias armas, inclusive contrabandeadas, apreendidas.