Bêbado, homem foge da PM até provocar acidente que destruiu um veículo

Bêbado, homem foge da PM até provocar acidente que destruiu um veículo

COMPARTILHAR
Veículo conduzido pelo gerador da ocorrência. (Fotos: Direto das Ruas)

Só depois de quase 40 minutos de perseguição atravessando a cidade em três pontos diferentes, centenas de manobras perigosas, tiros de balas de borracha que não intimidaram o perseguido e finalmente acidente que destruiu um veículo, a polícia conseguiu conter e prender indivíduo identificado pelo prenome Túlio, de 33 anos, morador no Residencial Dahma, que conduzia a SW4 branca placas QAA-9155.

O problema começou por volta de 23h50 quando uma equipe da Polícia Militar seguia pela Avenida João Arinos, sentido centro bairro, rumo a uma ocorrência quando próximo ao viaduto, avistou a SW4 na contramão de direção. Os policiais tentaram a abordagem, mas ao perceber a aproximação da viatura o condutor fugiu pela BR 163 no sentido São Paulo.

Teve início a fuga que poderia ter provocado tragédia em razão de centenas de infrações como passar em sinal vermelho, tráfego na contramão, ultrapassagens perigosas na BR-163, diferentes bairros com perseguição envolvendo viaturas 4 rodas e motocicletas e por fim violenta colisão traseira.

Na Avenida Gury Marques, sempre em alta velocidade e em manobras perigosas, ao chegar no cruzamento com a rua Agostinho Bacha a caminhonete colidiu na traseira do veículo Prisma placas QUK-3383, cujo condutor estava acompanhado de um filho. O condutor sofreu escoriações leves e o filho saiu ileso.

Com a violência da pancada o Prisma foi arremessado contra uma árvore, ficando totalmente destruído e a caminhonete parando cerca de 300 metros à frente. Tulio, condutor da SW4, mesmo em visível estado de embriaguez se recusou a realizar o teste de alcoolemia, sendo lavrado termo específico e em seguida encaminhado para a Cepol para autuação em flagrante por conduzir veículo automotor com capacidade psicomotora alterada em razão da influência de álcool ou de outra substância psicoativa.

Carro destruído onde estava pai e filho, uma criança.