Butantan entregará 600 mil doses da CoronaVac nesta sexta-feira

Butantan entregará 600 mil doses da CoronaVac nesta sexta-feira

COMPARTILHAR

O Instituto Butantan anunciou nesta quarta-feira (28) que entregará 600 mil novas doses da vacina CoronaVac ao governo federal na próxima sexta-feira (30). O próximo envio de unidades do imunizante estava previsto para segunda-feira (3), mas o instituto informou que conseguiu antecipar a entrega. Com isso, o Butantan fecha o mês de abril com o montante de 42 milhões de doses entregues ao Programa Nacional de Imunização (PNI) e não cumpre a previsão inicial de 46 milhões de unidades enviadas até abril.

O diretor do Butantan, Dimas Covas, informou que a solicitação de entrega antecipada foi feita diante da falta de vacinas relatada em alguns estados para a aplicação da segunda dose, “o que não é o caso do estado de São Paulo. Dentro dessa necessidade nós vamos antecipar na medida do possível toda a produção”.

Covas ainda tranquilizou as pessoas que estão com a aplicação da segunda dose da CoronaVac atrasada. “Mesmo que a pessoa tome (a segunda dose) 15 dias, 20 dias, um mês após a data prevista, não há interferência com o esquema vacinal. O importante é que tome a segunda dose após os 28 dias o quanto antes for possível”, ressaltou.

Paralisação de entregas

A última entrega de unidades da CoronaVac ao governo federal foi feita na semana passada, em 19 de abril. Com a antecipação de próxima entrega, o Butantan ficará 10 dias sem entregar vacinas ao Ministério da Saúde, mas pretende normalizar os envios ao PNI.

Covas disse que na próxima quarta-feira (5) o instituto entregará mais 1 milhão de doses da CoronaVac. Essas doses que serão enviadas ao governo federal nos próximos dias estão sendo produzidas a partir do lote de 3 mil litros de ingrediente farmacêutico ativo (IFA), importado da China. Os 3 mil litros de insumos são suficientes para produzir apenas 5 milhões de unidades da CoronaVac.

Para continuar a produção, o instituto paulista espera um novo lote de 3 mil litros de IFA, que ainda não tem previsão de chegada no Brasil. “Estamos neste momento aguardando uma posição da Sinovac em relação à entrega do próximo quantitativo de 3 mil litros. Solicitamos inclusive um aumento de 3 para 6 mil litros (de IFA) e devemos ter essa resposta brevemente para podermos entrar em um ritmo de produção acelerado”, afirmou Covas.