Cabo preso com maconha na 163 já foi acusado de extorsão

Cabo preso com maconha na 163 já foi acusado de extorsão

COMPARTILHAR
Droga foi recolhida ao depósito da Denar. (ilustração)

Será levado esta manhã para o Presídio Militar Estadual – PME, o cabo da PM Edevaldo Leão de Souza, o cabo Leão, preso nessa quinta-feira (28), na BR-163 quando chegava em Campo Grade com um carregamento de 100 quilos de maconha. As informações ainda estão sob sigilo por parte de corporações, mas o mínimo existente é possível relatá-las até que surja comunicado oficial sobre o episódio.

Edivaldo Leão já teve outro problema.

Consta que Edivaldo Leão de Souza estava chegando em Campo Grande pela BR-163, quando foi abordado pela Polícia Rodoviária Federal no posto do km 21. Como apesar de estar fardado se mostrava inquieto, a equipe da PRF suspeitou de algo e adotando medidas de segurança promoveu vistoria no veículo ocupado por Edivaldo, o que levou ao carregamento de droga.

A corporação teria sido de pronto comunicada pela PRF com relato da situação e a sequência da prisão em flagrante acompanhada. A droga foi encaminhada para a DENAR para pesagem e guarda, com o cabo em seguida autuado em flagrante de tráfico.

Extorsão

Edivaldo Leão de Souza já esteve envolvido em outra acusação de crime no exercício da função policial. Quando lotado em Nova Alvorada do Sul ele foi denunciado por terceiros e chegou a ser preso sob acusação de extorquir sacoleiros que usavam a cidade como entreposto de mercadorias contrabandeadas.

Ele cobrava, segundo as denúncias, R$ 50 de cada sacoleiro para que não apreendesse as mercadorias quando fossem embarcadas em ônibus de viagem. O ilícito chegou a ser tratado pela polícia civil, o policial enquadrado, mas acabou absolvido pela Justiça. Depois disso, ele foi removido de Nova Alvorada do Sul e transferido para a fronteira com o Paraguai, a unidade da PM em Ponta Porã onde está lotado.