Caixa aprova projeto para recapeamento e corredores do transporte coletivo

Caixa aprova projeto para recapeamento e corredores do transporte coletivo

COMPARTILHAR
Mobilidade não contempla linhas na periferia.

Na próxima semana, a Prefeitura de Campo Grande encaminha para análise da Câmara Municipal projeto autorizativo para a contratação de um empréstimo para 31,6 quilômetros de recapeamento e implantação de corredores sul e norte do transporte coletivo. Autorizado o empréstimo, o passo seguinte será a contratação dos projetos executivos e depois a licitação das obras, o que deve ocorrer no primeiro trimestre de 2020, com a contrapartida de R$ 4,8 milhões, o investimento do projeto chegará a R$ 96,1 milhões.

No final do mês passado, a Caixa Econômica Federal deu aval para operação após análise da capacidade de endividamento do Município. Serão contratados R$ 91,3 milhões, em recursos da linha de financiamento do Avançar Cidades, no âmbito do programa Pró-Transporte, com encargos de 6% de juro ao ano, podendo ser acrescida taxa diferencial de juros de até 2% e taxa de risco de crédito de até 1%. A contrapartida será de 5% do valor de investimento, com 48 meses de carência e 20 anos para pagamento.

O recapeamento abrangerá vias onde serão implantados corredores exclusivos de ônibus (Sul e Norte), interligação dos terminais Guaicurus/Morenão/General Osório e Nova Bahia, com estações de pré-embarque. Receberão drenagem e asfalto novo as avenidas Costa e Silva, Coronel Antonino, Mato Grosso, Cônsul Assaf Trad, além das ruas 25 de Dezembro e Alegrete, que formam o corredor norte, investimento de R$ 77,6 milhões. No corredor Sul, serão aplicados R$ 17,3 milhões, abrangendo a Avenida Costa e Silva e a Rua Rui Barbosa.

O trecho mais extenso (somando as duas pistas) são os 10,52 km da Avenida Cônsul Assaf Trad, desde a rotatória com o macroanel (no Jardim Colúmbia) até se encontrar com a Avenida Coronel Antonino. Junto com a recuperação do pavimento, será implantada a rede de drenagem para resolver problemas de alagamentos na saída para Cuiabá (Avenida Cônsul Assaf Trad) e região do Bairro São Francisco (ruas Alegrete e 25 de Dezembro), que atualmente impactam o córrego Cascudo, na Avenida Rachid Neder, e quando há chuva mais intensa, leva ao transbordamento do Segredo (onde o Cascudo desemboca) na altura da rotatória com a Avenida Ernesto Geisel.

Mobilidade urbana

Os recursos do Avançar Cidades vão complementar os recursos do PAC Mobilidade Urbana, um empréstimo R$ 110 milhões (recursos do FGTS) disponível desde 2012. O projeto começou a ser executado pela atual gestão em 2017 com o recapeamento das ruas Guia Lopes e Brilhante e está andamento o da Bandeirantes. Ainda neste ano, está prevista a licitação da obra programada para a Avenida Gunter Hans, do trevo Imbirussu até o Terminal Aero Rancho. Com o contingenciamento dos recursos do Orçamento União, que custeariam o recapeamento de outras duas ruas do Corredor Sul (Rui Barbosa e Avenida Costa Silva), a Prefeitura teve buscar esta outra alternativa de financiamento.

No PAC Mobilidade, há recursos para recapeamento e implantação do corredor Sul, numa extensão de 4,6 quilômetros da Avenida Gury Marques, do Terminal Guaicurus até a rotatória da Avenida Interlagos e da Avenida Calógeras, que se estende por 3 quilômetros. Do corredor Norte há recursos do Mobilidade para recapear a Rua Bahia (uma extensão de 1,8 km), que já foi licitado e está em fase de contratação.

Fonte: Assessoria