Caixões que saíram de Ponta Porã com supostas vítimas de covid estavam...

Caixões que saíram de Ponta Porã com supostas vítimas de covid estavam lotados de maconha

COMPARTILHAR
Os "defuntos" não compareceram ao embarque. (Fotos:PM/GO)

Antônio Coca

Policiais militares de Jatai em Goiás, apreenderam na madrugada desta segunda-feira (15) na BR-060 naquela cidade, 300 quilos de maconha que estavam sendo transportados em caixões funerários.

Os policiais faziam uma fiscalização na rodovia quando pararam o carro de uma funerária de cidade do interior goiano e o motorista de 22 anos que não teve o nome divulgado disse que estava transportando dois corpos de vítimas de covid 19 que tinham morrido em Ponta Porã.

Os caixões estavam lacrados e cercados de invólucro plástico, segundo o condutor essas seriam precauções adotadas para evitar o contágio do vírus e não poderiam ser abertos para evitar contaminação, mas que não tinha documentos das autoridades sanitárias e nem a autorização de translado necessários nestas situações.

Como o agente funerário ficou muito nervoso os militares resolveram abrir os caixões e encontraram centenas de tabletes de maconha quem pesaram ao todo 284 quilos e 200 gramas da drogam que estavam sendo levados para Goiânia. O motorista foi levado juntamente com a droga e autuado em flagrante por tráfico de entorpecente.

Não é novidade

A prática de transportar maconha em caixões de defunto partindo da região de fronteira não é novidade. Em meados da década de 70 e ao longo de 80, a prática chegou a ser adotada com certa frequência com os “defuntos” verde partindo de Ponta Porã ou Dourados. Após apreensões em Rio Brilhante, região de Bataguassu e Estado de São Paulo, o sistema foi aparentemente suspenso, podendo estar sendo reativado agora com outro empresário do ramo, pois o anterior que também não era pioneiro na ideia, já morreu.

Carro funerário quase completa a viagem