Câmara aprova Projeto do Professor Riverton que reconhece atividades físicas como essenciais

Câmara aprova Projeto do Professor Riverton que reconhece atividades físicas como essenciais

COMPARTILHAR
Vereador professor Riverton

Foi aprovado na sessão desta quinta-feira (6), da Câmara Municipal, o Projeto de Lei 10.039/21, de autoria do vereador Professor Riverton (DEM), em parceria com os vereadores Edu Miranda (Patriota) e Papy (Solidariedade), que reconhece a prática de atividades físicas como essenciais, incluindo no período pandêmico, assim como a manutenção dos estabelecimentos que oferecem tais atividades em Campo Grande, considerando a obrigatoriedade do cumprimento das regras de biossegurança estabelecidas.

Aprovado por unanimidade, o PL (Projeto de Lei) foi aprovado pela Casa de Leis, contando com a assinatura de todos os 29 parlamentares. “Fico muito feliz pela sensibilidade desta casa em reconhecer a relevância do projeto. Diante deste triste cenário da pandemia, sabemos o quanto a prática da atividade física é relevante como ação preventiva e na recuperação da Covid-19, inclusive, o educador físico é reconhecido como profissional da área da saúde”, pondera o vereador, que é educador físico por formação.

Ainda conforme o texto, o funcionamento de tais espaços, deve cumprir protocolos de biossegurança durante o período pandêmico.

Estudos – A pandemia de Covid-19 trouxe diversos impactos à sociedade, inclusive à saúde física e emocional de uma parcela considerável da população, como apontam estudos da Universidade do Rio de Janeiro. Segundo o levantamento, houve aumento de 90% dos casos de depressão no Brasil desde o início da pandemia, ao mesmo tempo que, a prática de atividades físicas, caiu em 20% no mesmo período.

“Exercitar-se periodicamente é fundamental para prevenir e controlar doenças cardíacas, obesidade, diabetes e até câncer. Sem contar a saúde mental, que comprovadamente recebe ajuda e equilíbrio por meio das atividades físicas. É espantoso saber que há estudos que comprovam o aumento da depressão e os riscos que essa doença oferece. Como educador físico defendo que a prática de atividades deve ser mantida, incentivada e os profissionais da área reconhecidos diante de seu grande valor, em especial neste período”, avalia o vereador. O projeto contou, durante sua elaboração, com apoio do CREF/11 (Conselho Regional de Educação Física).