China envia sementes estranhas para vários endereços e governo americano pede para...

China envia sementes estranhas para vários endereços e governo americano pede para que não plantem

COMPARTILHAR

Diferentes pessoas dos Estados Unidos receberam nos últimos dias pacotes vindos da China. Dentro deles, sementes de alguma planta e instruções em inglês de como plantá-las, sem especificar o que é. Alguns dos pacotes diziam ser do Quirguistão, e não da China, mas a maioria dizia vir deste último país.

Autoridades da secretaria de agricultura de 15 estados dos EUA avisaram aos residentes pra que não plantem as sementes em hipótese alguma. Outra coisa estranha: na declaração de conteúdo das embalagens sempre aparece uma peça de bijuteria diferente, como “brincos” ou “pulseiras”.
A situação foi passada do Departamento de Agricultura dos EUA (USDA) para o Departamento de Segurança Interna dos EUA (DOH), mostrando que a coisa é mais estranha do que aparenta ser. A primeira suspeita é de que seja um brushing scam.

Brushing Scam é quando um vendedor que está começando na internet e quer ter avaliações positivas, e então faz compras com diversas identidades e envia para diferentes casas, fazendo com que os sistemas de detecção de fraudes de sites de vendas não detectem o que está acontecendo.

As pessoas recebem os produtos e é claro que não devolvem, gerando então, após algum tempo, avaliações positivas na página do vendedor (afinal, esses sites entendem como avaliação positiva alguém que comprou e não reclamou após 15 dias).

Mas como a questão se trata de sementes, e não fones bluetooth, e como as tensões entre China e EUA cada vez mais crescem, o medo de que seja algo pior alarmou o governo. Seriam sementes modificadas com o intuito de destruir o solo ou espalhar uma erva daninha que acabe destruindo plantações? Quando a pessoa abre o pacote, encontra as sementinhas pretas e instruções em inglês de como plantar.

O Ministro das Relações Exteriores da China, Wang Wenbin, afirmou que as etiquetas da embalagem são “falsificadas”, e que o serviço de correios da China, o China Post, proíbe “estritamente” que sementes sejam mandadas pra fora.