CHOQUE esclarece furto milionário em condomínio na 262 e prende receptador de...

CHOQUE esclarece furto milionário em condomínio na 262 e prende receptador de jóias no centro da cidade

COMPARTILHAR
Alguns dos objetos apreendidos com os quadrilheiros. (Divulgação)

Policiais militares do Batalhão de Choque em policiamento ostensivo na região do Bairro Tiradentes, após a fuga de um desconhecido, fizeram abordagem em uma residência onde localizaram um indivíduo de 20 anos acompanhado de dois adolescentes com 16 e 17 anos.

Diante de explicações contraditórias por parte do trio, a equipe do BPChoque vistoriou o local e descobriu que era uma casa de ladrões. Foram inicialmente encontrados entre outras coisas relógios de origem duvidosa.

O maior de idade, ao ser questionado sobre a presença dos adolescentes, bem como dos objetos, confessou ser o autor do furto ocorrido no último dia 21 em uma casa no Condomínio Shalom, às margens da BR-262, de onde levaram um cofre com produtos avaliados em R$ 500 mil, tendo os adolescentes como comparsas.

Com o crime confessado, o maior apontou o local no quintal onde escondeu uma das armas, revolver, furtados da casa. Após as primeiras apreensões, com indicações do próprio ladrão, as buscas foram direcionadas aos receptadores das joias, inclusive o principal deles.

O ladrão adulto apontou e levou os Policiais do Choque na empresa Geiart’S Jóias, no centro de Campo Grande, definido como o paradeiro maior das joias furtadas. O proprierário da loja, ao ser questionado, apresentou várias contradições e versões sem fundamento, até que após revelações atribuídas a um ex-funcionário da empresa, confirmou a compra dos produtos.

Preso, o ourives comerciante apresentou quatro porções de ouro, dizendo que seriam resultantes do derretimento das peças compradas. Já os ladrões, afirmam categoricamente que todos os objetos de ouro, exceto uma corrente apreendida com um dos adolescentes, foram negociadas pela importância aproximada de R$ 50 mil, porém os receptadores, depois de algumas contradições, disseram que o valor pago seria pouco mais de R$ 5 mil. Ladrões, receptadores e bens apreendidos foram encaminhados para a DERF – Delegacia Especializada de Roubos e Furtos.

Veículo usado no crime