Colômbia e Argentina dispensam e Copa América é anunciada no Brasil

Colômbia e Argentina dispensam e Copa América é anunciada no Brasil

COMPARTILHAR
Arena da Amazônia, em Cuiabá, cotada para os jogos. (Foto: Abílio Brunini/Internet)

O Brasil foi “escalado” nesta segunda-feira (31) pela Conmebol como sede da Copa América depois das desistências de Colômbia, em grave problema político interno e Argentina que por conta da pandemia, preferiu preservar vidas. Para optar pelo Brasil diante da recusa de dois outros países, a Conmebol teve como principal argumento o fato da existência de estádios em boas condições, apesar de estarem ociosos. Uma reunião foi realizada virtualmente nesta segunda-feira com a participação dos dez representantes das confederações sul-americanas.

O Mané Garrincha, em Brasília, a Arena da Amazônia, em Cuiabá, a Arena Pernambuco, no Recife, e Arena das Dunas, em Natal, estão cogitadas para receber as partidas do torneio. Estão definidas como datas de início e final do torneio, 11 de junho e 10 de julho. No período, as competições do futebol brasileiro não serão paralisadas.

O Brasil não era uma opção, por causa da disputa simultânea do Campeonato Brasileiro. Chile, Estados Unidos e até Israel surgiam como alternativas para ‘salvar’ a competição, que pagará US$ 4 milhões (R$ 20,8 milhões) e mais US$ 10 milhões (R$ 52,2 milhões para o campeão. Será a segunda edição seguida do torneio no Brasil.

Consta que a Conmebol e a CBF fizeram uma consulta ao governo federal e receberam autorização por parte do presidente Jair Bolsonaro para a realização da Copa América no país, apesar doa altos números de casos e de mortes por COVID-19.

Argentina e Colômbia

Argentina e Colômbia sediariam a Copa América em conjunto. No entanto, na noite desse domingo, a Conmebol anunciou que a Argentina não seria mais sede do torneio devido à situação alarmante da pandemia do coronavírus no país. No último dia 20, a Colômbia havia desistido de receber jogos da competição por causa do conturbado momento no qual passa por conta dos violentos confrontos e protestos que estão acontecendo em meio à reforma previdenciária do país.