Com apoio do Centro Internacional de Negócios, indústria da Capital faz primeira...

Com apoio do Centro Internacional de Negócios, indústria da Capital faz primeira exportação

COMPARTILHAR
Empresa da Capital estréia no mercado internacional.

A assessoria técnica em comércio exterior do CIN/MS (Centro Internacional de Negócios de Mato Grosso do Sul) proporcionou que a indústria Erva-Mate Suprema, de Campo Grande, fizesse sua primeira exportação de erva para tereré para a Bolívia. O carregamento, com 780 caixas do produto, partiu no fim da tarde de ontem (21) com destino ao país vizinho.

A coordenadora do CIN/MS, Nathália Alves, destaca que a realização da primeira exportação tem influência direta na ampliação dos mercados da exportação de uma empresa, pois facilitam a interação de empresários brasileiros com os mais diversos players internacionais.

“Com a realização dessa primeira venda, a empresa fica menos dependente do mercado brasileiro porque, agora, ela já está preparada para exportar para qualquer lugar. É lógico que irá ter as diferenças de um país para outro, mas o contexto geral é similar e será preciso apenas se adaptar. Se em algum momento a venda interna dele cair, ele consegue destinar a produção para o mercado externo porque já está preparado por meio da nossa consultoria”, disse.

Já a consultora de comércio exterior do CIN/MS, Andrea Afif, explica que atuar no mercado internacional exige preparação e estratégia e esse foi o trabalho desenvolvido com a Erva-Mate Suprema. “Nosso trabalho com a Suprema iniciou com a parte burocrática, documental e o registro do produto na Bolívia. Em seguida, a parte operacional, ou seja, olhar a produção, alinhar a embalagem, rótulo, formação de preço. Tudo para viabilizar a exportação do lado brasileiro e boliviano”, detalhou.

Para o empresário Evandro José Lahr, proprietário da Erva-Mate Suprema, a consultoria do CIN/MS foi fundamental para que sua empresa pudesse empreender no mercado internacional boliviano. “Em tudo que precisamos somos atendidos e as dúvidas esclarecidas. Estou bem contente. Sinto segurança para fazer a exportação. Só tenho o que agradecer pelo apoio do CIN nesse processo”, declarou.

Essa primeira exportação possibilitou a preparação da Erva-Mate Suprema para uma atuação sólida no mercado exterior. “Temos a expectativa de vender, por mês, cinco mil caixas de erva de tereré para a Bolívia. E também estamos trabalhando no desenvolvimento de produtos específicos para atender o paladar boliviano”, adiantou Evandro Lahr.

Apoiar as empresas nesse processo de exportação, oferecendo um leque de serviços é a missão do CIN/MS, que disponibiliza desde a parte burocrática e de tributação até às ações de prospecção de mercados, identificação de clientes, formatação de preço do produto, cursos em comércio exterior, consultoria para viabilizar a venda da mercadoria.

Conforme Nathália Alves, a assessoria técnica do CIN/MS torna o processo de comércio exterior mais tranquilo, seguro e até mais ágil. “Porque a gente já conhece os caminhos, já sabe o que é que tem que fazer, como fazer, o time do negócio. Com o nosso apoio, o processo fica menos penoso para o cliente porque a exportação é uma novidade dentro de uma empresa e, geralmente, está dedicada ao seu core business, então, o empreendimento precisa ter um profissional capacitado de uma assessoria para poder ajudar na abertura desse novo mercado”, conclui.