Com mentoria individual com empresas, IEL encerra 1ª turma do Programa Plano...

Com mentoria individual com empresas, IEL encerra 1ª turma do Programa Plano de Voo

COMPARTILHAR

Ao longo desta semana, o IEL fez as últimas mentorias com as dez empresas participantes do Programa Plano de Voo, oferecido em parceria com a Fundação Dom Cabral e Sebrae/MS. O Programa, voltado para líderes em cargos de gestão de empresas, começou em novembro do ano passado com o objetivo de promover discussões entre as empresas sobre as estratégias que elas buscam construir para melhorar a competitividade e manter-se no mercado.

Segundo o superintendente do IEL, José Fernando do Amaral, a Programa Plano de Voo consistiu em uma imersão com todas as empresas participantes para serem traçados os desafios e as metas e, depois, mais duas mentorias individuais com cada empresa para analisar os objetivos de cada uma e auxiliar na implementação das ações propostas. “Foi um grande sucesso esse programa e nessa última etapa pude conversar com os empresários, que constataram melhorias nas empresas”, afirmou.

Ele destaca que as empresas participantes e que estão concluindo o Programa ainda podem contratar novas consultorias do IEL para um acompanhamento maior ou para explorar um ponto específico que haja necessidade de ser aprofundado. “Nossa equipe está à disposição e agora também estamos já pensando em repetir esse programa para que novas empresas possam participar, promovendo o desenvolvimento do nosso Estado cada vez mais”, completou.

O professor Elton Mattos, que ministrou o workshop e tem orientado as empresas, explicou que as mentorias têm como objetivo fixar os conhecimentos e conceitos tratados durante o workshop. “Nós já fizemos com cada uma das empresas um primeiro encontro para discutirmos o que elas entenderam, quais pontos chamaram atenção, entendemos onde estavam as principais dificuldades e aí traçamos as ações para iniciarmos um planejamento de estratégias”, detalhou.
Aprofundamento

A segunda mentoria, agora, busca discutir os obstáculos encontrados e objetivos atingidos. “As empresas já avançaram bastante, mudaram modelos estratégicos, trabalharam prospecção de cliente, entenderam com mais clareza a estratégia e risco e estão organizando os processos. A ideia desse programa é que os empresários e líderes possam captar mais clientes e delimitar a posição no mercado de trabalho, porque muitas vezes os empresários deixam de lado a parte estratégica para se dedicar à questão operacional, o que é perigoso e acarreta em uma perda de propulsão de crescimento”, ressaltou Elton Mattos.

Na avaliação da gerente-administrativa do Hospital Scalla, Patrícia Dupas, participar do Programa Plano de Voo foi fundamental para ter uma visão diferenciada da empresa. “Foi uma oportunidade de abrir mais nosso campo de visão para pontos que, no dia a dia, acabávamos deixando de lado por falta de tempo, principalmente as questões relacionadas ao marketing, que era uma coisa que a gente tinha algumas ideias na cabeça, mas não colocávamos nem no papel”, comentou.
Ainda conforme Patrícia Dupas, algumas ações já foram implantadas imediatamente e já é possível ver melhorias a partir do programa oferecido pelo IEL, Fundação Dom Cabral e Sebrae/MS.

“Algumas coisas descobrimos que deviam ser feitas para ontem e conseguimos melhorar algumas coisas. Com o Plano de Voo também conseguimos alinhar os objetivos e estratégias e definir de que forma queremos crescer”, completou.

Já para a sócia-proprietária da Vaccini, Samara Cristina Baicere Schmidt, o Programa ‘Plano de Voo permitiu uma visualização mais ampla da empresa. “Conseguimos ter uma visão maior da empresa, de presente e de futuro, pensando de que forma queremos continuar no mercado. Essa foi uma oportunidade de buscar mais conhecimento para que a Vaccini seja referência, porque a cada dia novas empresas surgem coo nossas concorrentes e precisamos estar atentos às transformações para não ficarmos para trás”, finalizou.

Com Assessoria