Com nome falso, empresário paraguaio preso no Panamá é extraditado para Israel

Com nome falso, empresário paraguaio preso no Panamá é extraditado para Israel

COMPARTILHAR

Antônio Coca

Rom Ganmliel, de 65 anos, um dos executivos da famosa rede de hotéis Howard Johnson no Paraguai foi extraditado nesta quarta-feira do Panamá para Israel. Ele irá cumprir pena de 12 anos por tráfico de drogas que lhe foi imposta em 1993, ano em que fugiu do dito Oriente Médio e se instalou em Assunção.

Segundo informações do Polícia Nacional do Paraguai, empresário, que tinha nacionalidade paraguaia, cujo primeiro nome é Yossi Ben Ari, ficou conhecido no País entre 2015 e 2016, quando comprou uma valiosa propriedade e passou a investir no ramo de hotelaria em Ciudade del Este.

Em 2019, conforme publicação do ABC Color, a própria Senatur (Secretaria Nacional de Turismo presidiu o lançamento do Howard Johnson Plaza Hotel no World Trade Center, que seria o segundo hotel desta rede no Paraguai e o primeiro em Assunção. Segundo o comissário Oman Mendoza, as autoridades paraguaias foram avisadas que Ron Gamliel havia sido preso no Panamá, no dia 17 de agosto, após ser descoberto que seu nome verdadeiro era outro e que ele era procurado pela polícia israelense. Seu destino final era a Colômbia.

A transferência de Yossi Ben-Ari para Israel ganhou repercussão internacional. “um prisioneiro que escapou há 28 anos de uma sentença de prisão de 12 anos decretada pelo Tribunal Distrital de Tel Aviv, condenado por importação 4,9 kg de heroína da Holanda para Israel”, publicou um jornal local.

Ainda segundo o veículo israelense, “em 1993, algum tempo depois do início do seu encarceramento, Ben-Ari fugiu do país. Por fim, descobriu-se que ele tinha estabelecido no Paraguai com o nome de Ron Gamliel e até se tornou cidadão do mesmo país”.