Conmebol adia final da Libertadores entre River Plate e Boca Juniors

Conmebol adia final da Libertadores entre River Plate e Boca Juniors

COMPARTILHAR
No ataque ônibus teve vidros quebrados e motorista desmaiou com tijolada na cabeça

A Conmebol anunciou oficialmente o adiamento por falta de segurança, da partida final da Libertadores, que deveria ter acontecido ontem, mas foi inicialmente adiada para hoje, por conta de ataque praticado por torcedores do River Plate. O ataque ao ônibus e jogadores do Boca Juniors, deixou centenas de feridos entre jogadores, torcedores e policiais.

“Não estão dadas as condições de igualdade esportiva para disputa da final. Por isso, a Conmebol tomou a decisão de adiar a final da Libertadores e convocou os presidentes de ambos os clubes para reunião em Assunção para encontrar uma nova data”, disse Domínguez ao canal Fox Sports da Argentina.

O Boca Juniors emitiu um comunicado oficial mais cedo à Conmebol pedindo a suspensão da partida contra o River Plate, alegando que está em condições inferiores ao rival para a partida.

A solicitação foi atendida.

A equipe do Boca se baseou no regulamento disciplinar da entidade. No segundo parágrafo do artigo 8, diz que “as associações membro e clubes são responsáveis pela segurança e pela ordem tanto no interior como nas imediações do estádio antes, durante e depois da partida da qual são anfitriões ou organizadores”.

“Depois dos atos de violência sofridos nos arredores do estádio (Monumental), o Boca considera que as condições de igualdade não estão dadas e solicita a suspensão do jogo, assim como a aplicação das sanções correspondentes previstas no Artigo 18”, informou o Boca em comunicado oficial publicado em seu site.

Além disso, o clube alegou que há jogadores machucados pelo ataque ao ônibus neste sábado. Pablo Pérez e Lamardo foram os mais afetados pelos estilhaços. O Boca também afirma que os atletas enfrentam problemas psicológicos.

Muitos jogadores tiveram olhos atingidos por estilhaços de vidro.