Consultoria do Sesi orienta 30 escolas privadas para retorno das aulas presenciais

Consultoria do Sesi orienta 30 escolas privadas para retorno das aulas presenciais

COMPARTILHAR

Com apoio gratuito da área de SST (Saúde e Segurança do Trabalho) do Sesi, 30 escolas particulares de Mato Grosso do Sul já estão se preparando para um eventual retorno das aulas presenciais, ainda impedido por força de decretos municipais voltados para o enfrentamento da pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

As instituições de ensino estão recebendo orientações por meio da consultoria “Protocolos de Segurança no Combate à Covid-19”, que integra as ações do Sesi de Mato Grosso do Sul para auxiliar empresas a retomarem com as atividades cumprindo todos os requisitos de biossegurança para clientes e colaboradores.

A consultoria do Sesi é totalmente gratuita para as escolas porque é 100% financiado pelo Sebratec, programa do Sebrae que leva diversos serviços especializados para os pequenos empresários.

No caso dos estabelecimentos de ensino, o trabalho consiste de uma consultoria personalizada em que os técnicos do Sesi analisam diversos aspectos do ambiente para, então, apresentar quais as mudanças necessárias para receber alunos e professores, minimizando os riscos de disseminação do novo coronavírus.

O gerente de SST do Sesi, Michel Klaime Filho, explica que, ao contratar a consultoria, a escola particular estará se antecipando ao momento em que o retorno presencial será liberado pelos municípios de Mato Grosso do Sul.

“É importante a escola adquirir a consultoria para ela já se preparar para o novo momento, assim que for deliberado a volta às aulas. Além de apoiarmos previamente, a consultoria também irá apoiar nas adequações solicitadas nas regras a serem publicadas e com suporte para situações específicas de cada escola”, explicou Michel Klaime.

Inicialmente, o Sesi entrega para a escola um protocolo de segurança que atenda de forma personalizada as necessidades da escola, de acordo com os decretos locais. Na segunda fase do atendimento, é realizado um acompanhamento mensal, para que o empresário tenha o apoio e olhar do Sesi sobre como colocar em prática e manter as orientações repassadas.

No fim de cada visita, a escola recebe um certificado com o percentual de adesão ao que foi proposto. “Analisamos desde os dados obrigatórios para a entrega de um documento inicial para que o protocolo atenda o município em questão”, pontuou o gerente de SST do Sesi.

Ele acrescenta que a equipe técnica do Sesi também orienta sobre toda a organização necessária dos ambientes de trabalho, sejam eles administrativos, como a sala dos professores e recepção, ou de atendimento ao aluno, como as salas de aula e refeitórios.

“Analisamos também a capacidade de atendimento do estabelecimento para que o documento seja adequado de acordo com a realidade do estabelecimento”, acrescentou a analista de gestão em SST do Sesi, Priscilla Santana Bueno.

Estabelecimentos de ensino de todo o Estado interessados na consultoria do Sesi para um retorno presencial seguro devem entrar em contato por meio do Canal da Indústria, que é plataforma de atendimento aos empresários durante a pandemia.