Sindicato vê manobra antigreve em áudio de vereador

Sindicato vê manobra antigreve em áudio de vereador

COMPARTILHAR

A Guarda Civil Metropolitana – GCM, foi surpreendida na manhã desta sexta-feira (28) com um áudio do vereador Marcos Tabosa (PDT), divulgado através do WhatsApp, interpretado como interferência prejudicial aos trabalhadores em momento de reinvindicação. O vereador, que também é presidente do Sindicato dos Servidores e Funcionários Municipais de Campo Grande (Sisem), convoca a categoria para filiação ao Sisem durante o período de indicativo de greve da Guarda Civil Metropolitana, aprovado em Assembleia Geral convocada pelo Sindicato dos Guardas Municipais (SINDGM) na quinta-feira (27).

Na manifestação, o vereador do PDT ainda promete, em áudio, que os Guardas teriam um representante político caso se filiassem ao Sisem: “além de terem um sindicato forte (…), vão ter um vereador na capital, uma voz no parlamento”. O período de filiação vai de encontro à Assembleia para deflagração de greve da categoria, marcada para o dia 31. Hudson Bonfim, representante do SINDGM, alega que o áudio foi divulgado para desmobilizar a Guarda Civil Metropolitana quanto ao movimento grevista e que o vereador “atua contra os trabalhadores da Guarda e contra o movimento de reivindicações totalmente legítimas da categoria”.

Marcos Tabosa já havia sido desmentido pelo presidente do SINDGM, Hudson Bonfim, ao divulgar notícias falsas sobre reivindicações feitas sobre adicionais de periculosidade e adicional noturno, ambas em trâmite judicial.

O GCM Bonfim ainda ressalta que a tentativa do vereador de convocar filiação ao Sisem, além de enfraquecer a mobilização da categoria, afronta a decisão aos autos nº 0024274-23.2017.5.24.0007, na qual foi definido que a representação dos Guardas Municipais pertence ao SINDGM/CG e que isso “pode caracterizar crime de desobediência por parte do vereador e presidente do Sisem”. Conclui o presidente do sindicato. Até o fechamento desse material não havíamos conseguido contato com o vereador ou sua assessoria.