Coronel Alírio Villasanti mostra em relatório trabalho da comissão sobre o transporte...

Coronel Alírio Villasanti mostra em relatório trabalho da comissão sobre o transporte público

COMPARTILHAR

Nesta terça-feira (10), em sessão ordinária, o vereador Coronel Alírio Villasanti, presidente da Comissão Permanente de Transporte e Trânsito, da Casa de Leis, apresentou relatório de prestação de contas do que a comissão tem feito em relação a fiscalização no transporte público, da Capital. Os trabalhos tiveram início no primeiro semestre após denúncias de lotação nos ônibus e aglomerações nos terminais. Na ocasião, uma comissão de vereadores foi formada para fiscalizar o transporte coletivo, onde foram pessoalmente investigar a situação. Além das reclamações já citadas, ainda observaram a falta de segurança pública e a necessidade de reformas.

Levando em consideração a pandemia e entendendo que o transporte coletivo é um sistema complexo que envolve o esforço de todos, a Comissão Permanente de Transporte e Trânsito tem reunido entidades e órgãos relacionados ao setor, para discutir a melhor saída, para atender o usuário do transporte público.

Entre as soluções alcançadas, estão:

O escalonamento dos horários nas redes particular, municipal e estadual de ensino com a finalidade de diminuir as lotações e aglomerações nos terminais. Reformas nos terminais Guaicurus, Bandeirantes e Júlio de Castilho. Toda a parte elétrica e hidráulica, acessibilidade, bancos e bebedouros novos, prevenção e combate a incêndio, sistema de para-raios, bicicletários, fechamento de portões e a instalação da base da Guarda Municipal.

Também está em andamento as tratativas com representantes do setor produtivo como a ACICG – Associação Comercial e Industrial de Campo Grande, CDL – Câmara de Dirigentes Lojistas e FIEMS – Federação das Indústrias do Estado de Mato Grosso do Sul, para adoção de medidas semelhantes ou mesmo extensão do horário de alguns setores, e a possibilidade da revisão do contrato (de 2012), adotando, por exemplo, a mensuração por quilometragem e não por passageiro.

Em sua fala, o presidente da Comissão aponta que o transporte coletivo é um direito social. “Precisamos ter um maior envolvimento da sociedade, e a busca por mais transparência e controle dos dados do sistema por parte dos órgãos estatais”, disse. O vereador ainda enfatizou a necessidade de conclusão, com brevidade, dos corredores de ônibus, sendo fundamental para garantir a pontualidade das linhas, e também a conclusão das obras nos terminais restantes.

A Comissão Permanente de Transporte e Trânsito continua atuando ativamente na fiscalização do transporte coletivo, dialogando com o Consórcio Guaicurus, a AGEREG (Agência de Regulação dos Serviços Públicos Delegados de Campo Grande), a AGETRAN (Agência Municipal de Transporte e Trânsito), a Defensoria Pública e o Ministério Público assim como demais órgãos que atuam diretamente em nossa sociedade.

Com Assessoria