Deam completa seis anos integrando complexo integrado de atendimento à mulher

Deam completa seis anos integrando complexo integrado de atendimento à mulher

COMPARTILHAR
Mulheres com a lei e pelas mulheres. (Divulgação)

A Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher de Campo Grande completa, nesta quarta-feira (3), seis anos como parte do complexo de atendimento às vítimas de violência doméstica e familiar que integram a Casa da Mulher Brasileira. Inaugurada no dia 3 de fevereiro de 2015 no Jardim Imá, a Casa da Mulher Brasileira de Campo Grande foi um marco no país, pois se consagrou como o primeiro complexo integrado de atendimento multidisciplinar à mulheres vítimas de violência doméstica e sexual no Brasil.

A Deam realiza o atendimento policial, especializado, de mulheres em situação de vulnerabilidade de gênero, registrando boletins de ocorrência, solicitando medidas protetivas de urgência e tocando investigações de crimes como estupro, lesão corporal e feminicídios praticados tanto contra mulheres em contexto de violência doméstica ou por menosprezo ou discriminação à condição de mulher.

Apenas no ano de 2020, a Deam registrou 7.328 boletins de ocorrência, concluiu 4.168 investigações criminais e encaminhou 4.713 medidas protetivas de urgências. A delegacia foi responsável por efetuar a prisão em flagrante de 408 suspeitos de crimes contra a mulher e cumpriu outros 249 mandados de prisão.

De acordo com Fernanda Félix, delegada titular da Especializada, o ano de 2020 foi especialmente cruel com as mulheres. “Este ano que passou foi o ano em que mais se matou mulheres desde a criação da Lei do Feminicídio na Capital”, contou a delegada. “No total, 11 mulheres foram mortas em Campo Grande e outras 28 no interior do Estado, totalizando 39 feminicídios”. Para a delegada, os números mostram que as mulheres ainda correm risco dentro de suas próprias casas, o que reafirma a necessidade de um acolhimento especializado a estas vítimas.

Com Assessoria/PCMS