Deco assume investigação sobre helicóptero do tráfico

Deco assume investigação sobre helicóptero do tráfico

COMPARTILHAR

A Delegacia Especializada de Combate ao Crime Organizado (Deco), assumiu as investigações que envolvem o helicóptero que pousou irregularmente em uma fazenda no município de Ribas do Rio Pardo, na semana passada. A aeronave matrícula PT-YEZ, foi removida transportada para Campo Grande no último fim de semana.

A ação que resultou na apreensão do helicóptero foi realizada em conjunto entre a Deco, o Garras (Delegacia Especializada de Repressão a Roubos a Bancos, Assaltos e Sequestros) e SIG (Setor de Investigações Gerais) de Ribas do Rio Pardo.

Assim que o helicóptero realizou o pouso, policiais civis efetuaram a abordagem do piloto, que estava sozinho e ao ser interpelado pelos policiais apresentou versões contraditórias sobre a estada na cidade. Por fim, acabou admitindo que chegou em Ribas do Rio Pardo na quarta-feira (11), para encontrar com um comparsa, e juntos irem para uma fazenda em outro município.

Na segunda propriedade, piloto e o segundo indivíduo carregariam a aeronave com drogas, muito provavelmente cocaína, e fariam o transporte para outra localidade. O piloto ainda admitiu que não tinha um plano de voo, reconhecendo as irregularidades cometidas, principalmente pelo fato de ter pousado sem autorização em uma propriedade privada.

Após inúmeras buscas, os policiais civis localizaram o homem citado pelo piloto, que ao ser ouvido negou taxativamente desconhecer o plano para o carregamento de drogas e relatou que apenas auxiliaria o piloto com gasolina.

Os dois suspeitos foram conduzidos para a Delegacia da Polícia Civil em Ribas do Rio Pardo e indiciados pelos crimes de atentado contra a segurança de transporte marítimo, fluvial ou aéreo (art. 261 do Código Penal) e associação para o tráfico de drogas (art. 35, caput, da Lei nº 11.343/06). Foi a primeira apreensão de aeronave ocorrida em Ribas do Rio Pardo e dada a complexidade do caso envolvendo quadrilha especializada no tráfico de entorpecentes, o caso foi repassado para a DECO. A aeronave está cadastrada em nome da empresa Moto Pop Ltda, de Sergipe, também operadora do helicóptero.