Denúncias contra Riachuelo não procedem, apura sindicato

Denúncias contra Riachuelo não procedem, apura sindicato

COMPARTILHAR

Não procedem as denúncias de que a Lojas Riachuelo de Campo Grande na Rua 14 de Julho, esquina com a Barão do Rio Branco, de que estaria forçando funcionários a trabalhar, mesmo contaminados com o vírus Covid-19. A conclusão é da diretoria do Sindicato dos Empregados no Comércio de Campo Grande –SECCG, que esteve na loja para apurar as denúncias que já estavam em alguns veículos de imprensa da cidade.

“Conversamos com diversos funcionários, inclusive fora da presença da direção da empresa e também com gerentes e diretores e vimos que não procedem as denúncias que chegaram até nós”, afirmou Carlos Sérgio dos Santos, presidente do sindicato.

A entidade apurou também que alguns funcionários que contraíram a doença anteriormente, foram devidamente afastados e só retornaram ao trabalho depois de curados da doença. O sindicato também tomou conhecimento da presença da Vigilância Sanitária Municipal na manhã de hoje no local e que não teria constatado também nenhuma irregularidade.

“O sindicato está atento e alerta a qualquer denúncia que chegar para apurar os fatos, sempre em defesa da vida humana e dos trabalhadores que representa. Entretanto, não compactuaremos com nenhuma denúncia infundada”, afirmou Carlos, líder sindical dos comerciários.