Deputado classifica CPI como jogo do mais baixo nível contra Bolsonaro

Deputado classifica CPI como jogo do mais baixo nível contra Bolsonaro

COMPARTILHAR

O deputado estadual Coronel David (sem partido) definiu como “o mais
baixo possível” o jogo político maquiavélico da oposição como alvo “sangrar” a administração de Jair Bolsonaro, também sem partido. O Coronel David destacou em seu pronunciamento, durante sessão plenária, na Assembleia Legislativa, nesta quinta-feira (28), que a “orquestra” no Senado que instalou a CPI da Covid-19 está afinada apenas entre seus integrantes, mas bem desafinada perante a população brasileira, que é a mais importante de todo o conjunto.

Interrompido pelo deputado Pedro Kemp (PT), durante sua fala por
direito, Coronel David, mesmo com pouco tempo, rebateu os dados irreais
e as fakes news implantadas pelo Partido dos Trabalhadores e ironizou o
posicionamento falso e equivocado que o grupo defende. “Realmente o governo do presidente Jair Bolsonaro não tem capacidade de roubar, isso aí nós deixamos tudo por conta do Partido dos Trabalhadores, que roubou o povo brasileiro usando o dinheiro de todas as estatais principalmente da Petrobras, tanto que o líder maior deles foi condenado em várias instâncias e infelizmente foi colocado nas ruas novamente, mas fazer o quê?”, pontuou o Coronel David.

Espetáculo da Esquerda

O parlamentar relembrou que diferente das reuniões do PT em que os membros se reuniam para “ver em qual órgão público eles iam roubar,
conforme sentenças proferidas pelo poder Judiciário”, o vazamento das
informações desses encontros criaram todo o “espetáculo da esquerda”.
“Esses desassombros do deputado Pedro Kemp somente demonstram dele e do partido dele que eles não servem para nada”. Destacou.

CPI

Em seu discurso, o deputado comparou a CPI com cenas na política
nacional de um filme de ficção com script de “uma mente extremamente
criativa, mas que infelizmente não é”. “A mais pura e triste realidade: Instalou-se, no Senado, uma CPI da Covid-19 para apurar suposta omissão do Governo Federal nas ações de combate a trágica pandemia. A intenção é clara, sangrar a administração de Jair Bolsonaro, onde não há casos de corrupção como em governos anteriores e onde a população está em primeiro lugar, o que deixa os adversários mal acostumados com benesses passadas a mostrar a garra, fruto do inconformismo”, disse.

Alerta

O parlamentar ainda relembrou que o aviso sobre a CPI não é de hoje. Nas
redes sociais, o parlamentar informou que alertou seus amigos e
seguidores sobre o quão esta CPI é “muito estranha”.

“Disse eu à época que primeiro o STF proibiu o presidente de comandar as
ações de enfrentamento à pandemia. Depois, os ministros daquela corte
determinaram que fosse aberta esta CPI e, da qual, pais de dois
governadores fariam parte. O que eu alertei, se concretizou, um deles, o
relator da tal comissão, é pai do governador de Alagoas e, o outro, que
integra a comissão como suplente, tem como filho o governador do Pará.
Serão eles os responsáveis em fiscalizar os próprios filhos? haverá
imparcialidade?”, questionou.

Perseguição

O Coronel David finalizou seu argumento e deixou claro que desde que o chefe do Governo Nacional tomou posse, é vítima da artilharia pesada da extrema-esquerda e demais segmentos que a sustentam.

“Acham-se o suprassumo da sapiência e acreditam que três anos de
administração séria e incorruptível podem ser comparados com os anos da era petista. Agora, essa mesma orquestra desafinada tenta dar o tom na acusação de que o presidente cortou verbas de programas e, com isso, estaria prejudicando as famílias mais carentes, ou seja, falácias,
apenas falácias dos desesperados que infelicitaram o país, com suas
ideologias de ‘quanto pior, melhor’. É preciso entender, hoje, graças ao
presidente Jair Messias Bolsonaro que tem a confiança do povo, é o
Brasil acima de tudo e Deus acima de todos”, finalizou.