Deputado Contar pede atenção da prefeitura com área de acesso ao controle...

Deputado Contar pede atenção da prefeitura com área de acesso ao controle de tráfego aéreo que está abandonada

COMPARTILHAR

Há mais de dois meses, o deputado estadual Capitão Contar (PSL) tem pedido a atenção do poder executivo em relação a área localizada nas proximidades do setor de controle de tráfego aéreo de Campo Grande, na região oeste. “Mato alto, via cheia de crateras, sem iluminação ou qualquer outro tipo de infraestrutura em uma das regiões que deveria ter um respaldo da Prefeitura da nossa Capital”, salienta o parlamentar.

Contar já encaminhou ao menos três indicações ao poder executivo municipal e já usou a tribuna da Assembleia Legislativa algumas vezes para falar do problema sofrido por quem precisa transitar pela Avenida Wilson Paes de Barros, localizada no Bairro Serradinho. “O DTCEA-CG (Destacamento de Controle do Espaço Aéreo de Campo Grande), uma unidade da Organização Militar do Comando da Aeronáutica, é responsável pelo tráfego aéreo e os voos em três aeroportos da Capital, sendo o Internacional de Campo Grande, Santa Maria e o Teruel”, explica.

O deputado salienta que, “esta unidade é responsável pelos 39 mil voos que ocorreram no período de um ano, e consequentemente por 1 milhão de vidas que utilizaram só o Aeroporto Internacional de Campo Grande. Nosso principal aeroporto está em 22º lugar no ranking dos mais movimentados do país. Os funcionários deste Destacamento também são responsáveis pelos voos de carreira, além de voos militares e de aeronaves que estão sobrevoando o nosso espaço aéreo sem permissão”.

“Para isso, os funcionários, que são militares e civis, mulheres, homens e jovens, precisam passar por aproximadamente 500 metros de rua esburacada, sem iluminação, com mato alto e sem segurança alguma. Lembrando que eles trabalham em um dos setores que precisam da extrema atenção, não podendo estarem estressados em preocupados”, afirma o parlamentar.

Além disso, Capitão Contar recorda que, “naquela região também fica uma unidade do Corpo de Bombeiros, que é responsável por alguma ocorrência que venha acontecer no tráfego aéreo, porém se uma viatura tiver os pneus furados, se ocorrer algum dano por causa da via pública, a tragédia no aeroporto será muito maior. Socorristas precisam passar pela avenida para ter acesso ao aeroporto. Além disso, a velocidade que se anda por lá, está muito além da mínima, o que também atrapalha no caso de algum socorro”.

“Pelas razões apresentadas, e com a finalidade de garantir a agilidade e segurança desses que realizam um trabalho tão importante e as demais pessoas que precisam transitar pela região, solicitamos que sejam tomadas as providências necessárias com urgência”, enalteceu o deputado estadual Capitão Contar ao encaminhar novamente pedidos para a Prefeitura de Campo Grande e secretarias responsáveis.