Deputados decidem pela cassação de Flordelis acusada mandar matar o marido

Deputados decidem pela cassação de Flordelis acusada mandar matar o marido

COMPARTILHAR
Na lentidão, a garantia do mandato e foro privilegiado. (Foto: Câmara)

O Conselho de Ética da Câmara dos Deputados decidiu, nesta terça-feira (8), cassar o mandato da deputada Flordelis (PSD-RJ). Acusada de ser mandante do assassinato do marido, o pastor Anderson do Carmo, em 2019, a parlamentar recebeu 16 dos 17 votos possíveis. Apenas um deputado foi contra a cassação, Márcio Labre (PSL-RJ).

A decisão aprova o relatório e voto do deputado Alexandre Leite (DEM-SP), lido na última semana. Após essa etapa, o mandato de Flordelis será decidido no plenário da Câmara. O relatório de Leite diz que a parlamentar matou o marido porque ele tentava interferir no seu mandato. Sem ele, ela conseguiria atuar de maneira plena.

“Eu diria que se existisse o crime de estelionato eleitoral o conceito dele estaria embasado no seu caso. Tentei, ao máximo, poupar esse Conselho de Ética de fatos trazidos neste processo, que, por si só, já configurariam quebra de decoro. Escândalos sexuais, abusos sexuais, adoção à brasileira, rachadinha. Muitas informações que não agregariam nada na justiça que se pretende fazer nesse relatório”, disse.

Se a maioria absoluta, ou seja, 256 dos 513 deputados votar pela cassação, a parlamentar perde seu mandato e o foro privilegiado. A data para a votação ainda não está definida e a parlamentar pode recorrer à decisão da Comissão de Ética na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa.