Dois policiais municipais presos após agressão a adolescentes e guardarem bicicletas roubadas

Dois policiais municipais presos após agressão a adolescentes e guardarem bicicletas roubadas

COMPARTILHAR

Dois integrantes da Polícia Municipal (ex-GCM) foram presos e autuados em flagrante na Polícia Civil enquadrados em crimes de prevaricação e exercício arbitrário das próprias razões. Eles foram presos na unidade que prestam serviço, na região norte de Campo Grande, onde a Polícia Militar encontrou bicicletas e outro objeto produto de roubo que haviam sido encontrados em poder dos supostos ladrões no Bairro Estrela do Sul, os quais depois de agredidos foram liberados sem encaminhamento à autoridade policial judiciária.

Foram presos e autuados Rafael Gomes Ferreira da Silva e Maiso Marques Faria, apanhados na noite desse domingo (3), após abordagem retenção, agressão e em seguida liberação de dois adolescentes apanhados com duas bicicletas tomadas em assalto. Uma das bicicletas foi roubada durante assalto ao filho de um oficial da Polícia Militar.

Posteriormente ao assalto e abordagem por parte dos policiais, a Polícia Civil foi procurada pela mãe de um adolescente denunciando a “prisão” agressão e suposto furto de objetos pessoais do filho, segundo a mãe, por integrantes da Guarda Municipal. Algum tempo após a denúncia, a mãe do adolescente acompanhado do oficial pai do assaltado foram até a Base da Polícia Municipal onde os autores da abordagem são lotados, e lá encontraram as bicicletas roubadas e “apreendidas”, além do boné de um dos supostos autores do roubo.

Questionados sobre a presença das bicicletas no local, um dos policiais municipais confirmou aos militares que eles haviam abordado os garotos, (autores) e que inclusive, uma faca também foi apreendida com a dupla. Os Policiais Municipais ainda acusaram os adolescentes de além de estarem portando faca, iriam cometer outros assaltos, mas não explicaram porque não efetuaram a apreensão legal e encaminhamento dos adolescentes, os liberando mesmo diante de situação de flagrante de ato infracional.

Em meio a explicação de um dos policiais municiais, o outro tentou intervir e contar versão diferente aos policiais militares que então deram voz de prisão aos dois. Um deles se recusou a entrar na viatura policial sendo necessário o uso de força moderada contra ele, que acabou cedendo e indo sem maiores problemas para a delegacia. Eles foram ouvidos, enquadrados e liberados em razão de os crimes em que estão enquadrados serem definidos como de menor potencial ofensivo.

Até o fechamento dessa reportagem, a secretaria municipal de segurança pública não havia se manifestado sobre o problema, o segundo em pouco tempo, envolvendo integrantes da Polícia Municipal e Polícia Militar. No episódio anterior, em que um sargento aposentado foi arrancado de sua casa por uma equipe da prefeitura, o Comando da Polícia Militar se manifestou mostrando a ação ter sido arbitrária e ilegal, além de destacar que a Guarda Civil Municipal não tem determinados poderes conferidos constitucionalmente a policiais militares e federais.