Dono de Lava Jato foi fuzilado na fronteira

Dono de Lava Jato foi fuzilado na fronteira

COMPARTILHAR
"Capetinha", executado em seu Lava Jato.

Antônio Coca

Foi identificado como Sérgio Everton Goncalves de Sousa de 24 anos, conhecido como “Capetinha”, o homem assassinado na tarde desta quinta-feira (27) no Residencial Ponta Porã 1. De acordo com uma testemunha um veículo SUV preto com placas do Paraguai entrou no Lava Jato Prime e um homem usando uma balaclava (máscara) desceu do carro com um Fuzil nas mãos e foi atirando contra Sérgio até descarregar toda a munição da arma.

A testemunha disse que apenas se protegeu e que a vítima do assassino era Sérgio que foi o único alvo do atirador. O motorista da caminhonete ficou no veículo que estava ligado e depois do crime o pistoleiro voltou para o carro e deixaram o local. A testemunha disse que acionou o SAMU, mas quando os socorristas chegaram apenas atestaram a morte de Sérgio.

Peritos da Polícia Civil que estiveram no local recolheram diversos cartuchos de calibre 5.56 e de pistola 9 milímetros, o que indica que mais de uma arma foi usada no homicídio, apesar da testemunha não ter relatado isso para a polícia. O caso está sendo investigado pelo 1º Distrito Policial de Ponta Porã.

Sérgio Everton Gonçalves de Sousa.