Durante coletiva, assaltante que se passava por fotógrafo de jornal, é preso

Durante coletiva, assaltante que se passava por fotógrafo de jornal, é preso

COMPARTILHAR
Fotógrafo preso durante coletiva na delegacia

A Polícia Civil de Jaciara, em Mato Grosso na tarde de terça-feira (15), teve uma situação até então inusitada no estado. É que durante a apresentação à imprensa de um casal preso com mais de 300 quilos de maconha (veja matéria no TempoMS), ao final da coletiva, um dos fotógrafos que cobria o evento, foi preso em cumprimento a mandado de prisão de outro Estado. Weliks Gomes Aquino (23), que usava nome “artístico” de Gil Gomes, era foragido do estado do Maranhão.

Weliks tinha contra si mandados de prisão sendo procurado por roubo (assalto a mão armada) e furtos. Fotógrafo de profissão e ladrão por opção, ele estava há algum tempo na cidade de Jaciara. Ele trabalhava em um jornal eletrônico da cidade onde também consta que assessorava o prefeito fotografando eventos.

A prisão aconteceu quando a Polícia Civil apresentava o casal Paula Machado Santos (28) e Pablo Pedro Alves Machado (22), ambos de MS e apanhados em um Escort placas de Aquidauana/MS. Os dois transportavam mais de 300 quilos de maconha que pegaram em Ponta Porã para levar até a cidade de Sorriso, em Mato Grosso.

Na apresentação o delegado relatou como ocorreu a prisão com apoio da PM local, o fotógrafo fez as imagens de estilo nesse tipo de pauta, registrou o delegado junto à “parede” de maconha e outras imagens. Ao final da coletiva ainda diante dos demais jornalistas, o delegado deu voz de prisão ao sujeito estendendo a apresentação relatando que o fotógrafo na verdade era foragido do Maranhão onde é condenado por roubos e furtos. Ele em seguida foi recolhido junto aos demais presos, inclusive o que ele acabara de fotografar.