Em inauguração da Coamo, Longen destaca desafios da industrialização do Estado

Em inauguração da Coamo, Longen destaca desafios da industrialização do Estado

COMPARTILHAR

Ao participar, nesta segunda-feira (25), da inauguração da nova planta de processamento e refino de soja da Coamo, em Dourados, o presidente da Fiems, Sérgio Longen, destacou que a industrialização de Mato Grosso do Sul é um dos grandes desafios encabeçados pelo Sistema Fiems, buscando agregar valor aos produtos sul-mato-grossenses e gerando mais emprego e renda para a população.

“Precisamos transformar aquilo que é matéria prima em produto acabado. Esse é o grande desafio que temos tido nos últimos anos à frente da Fiems e uma prova clara disso é essa inauguração dessa nova planta de processamento e refino de soja. Para isso, é fundamental as diversas parcerias que realizamos com o Governo do Estado e com as prefeituras para qualificação profissional, além de oferecer serviços em tecnologia e inovação por meio do Sesi e do Senai para melhorar a competitividade das empresas”, afirmou Longen.

Ele ainda reforçou a necessidade de preparar a população para os novos investimentos que estão sendo feitos em Mato Grosso do Sul. “Entendemos que a indústria vem se fortalecendo a cada dia e, nós, do Sistema Fiems, precisamos avançar na qualificação das pessoas, preparar o nosso Estado para desenvolver cada vez mais o setor industrial. Mato Grosso do Sul vem diversificando os segmentos e Dourados está de parabéns, porque soma ao agronegócio essa grande empresa”, completou.

O diretor-presidente da Coamo, José Aroldo Gallassini, detalhou que o novo polo recebeu investimentos na ordem de R$ 780 milhões e tem capacidade para processar 3 mil toneladas/dia de soja para produção de farelo e óleo, gerando 300 empregos diretos no município. “Paralelo a isso, estamos inaugurando também um centro de distribuição de insumos, máquinas e equipamentos agrícolas, que vai gerar mais 100 empregos diretos, totalizando 400 empregos diretos aqui na região, contribuindo para desenvolver a cidade de Dourados e fortalecendo o agronegócio brasileiro”, declarou.

Presente ao evento, a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina Corrêa da Costa Dias, considerou a inauguração da nova fábrica um sonho realizado. “Lembro que ainda quando titular da Seprotur (Secretaria Estadual de Desenvolvimento Agrário, Produção, Indústria, Comércio e Turismo), conversei com o José Aroldo e falei da necessidade de se investir em Mato Grosso do Sul. Ver essa indústria, que é uma das maiores de esmagamento de soja da América Latina, ser inaugurada no meu Estado é uma satisfação muito grande”, afirmou.

Ainda conforme Tereza Cristina, é cada vez mais necessário investir em novas tecnologias e inovações para melhorar a produção de alimentos no Brasil. “Tenho viajado o mundo buscando abrir cada vez mais mercados para nossos produtos e o que tenho percebido é que países que costumavam comprar produtos nossos, estão conseguindo produzir e exportar seus próprios produtos, aumentando a concorrência com o que temos. Temos boas instituições de pesquisa e estamos avançados, mas não podemos nos descuidar. Pelo contrário, precisamos buscar melhorar ainda mais a cada dia”, acrescentou.

O governador Reinaldo Azambuja agradeceu a confiança da Coamo em instalar a unidade fabril em Mato Grosso do Sul. “Qualquer Estado gostaria de receber uma indústria como essa e me sinto muito honrado por estarmos realizando essa inauguração aqui hoje. Sabemos da importância do setor privado para movimentar a economia do País e aqui a Coamo está de parabéns por concluir essa construção em um tempo recorde de 27 meses”, salientou.

Para a prefeita de Dourados, Délia Razuk, a nova indústria consolida o município como a capital do agronegócio em Mato Grosso do Sul. “Esse complexo é fruto da união e da força do nosso Estado e com ele novos investimentos chegarão a Dourados, fortalecendo ainda mais a agroindústria da nossa região e contribuindo para o desenvolvimento do nosso Estado”, finalizou.

Com Assessoria