Em sua visita Juan Guaidó não terá honras de chefe de estado

Em sua visita Juan Guaidó não terá honras de chefe de estado

COMPARTILHAR

Agência Brasil

Apesar de o governo brasileiro reconhecer a legitimidade do autoproclamado presidente em exercício da Venezuela, Juan Guaidó, ele não será recebido com honras de chefe de estado. A visita oficial nesta quinta-feira (28) será ao ministro de Relações Exteriores, Ernesto Araújo, no Palácio Itamaraty, como informou o porta-voz da Presidência da República, Otávio do Rêgo Barros. A reunião informal entre Juan Guaidó e Jair Bolsonaro será no Palácio do Planalto, às 14h.

Ainda sobre a Venezuela, o Conselho de Defesa Nacional declarou interesses de soberania e segurança nacional sobre a obra da linha de transmissão que vai ligar a usina hidrelétrica de Tucuruí, no Amazonas, até o estado de Roraima.

Metade da energia elétrica consumida pelos roraimenses vem do país vizinho e o estado é o único que ainda não faz parte do Sistema Interligado Nacional de eletricidade. A expectativa do governo é de concluir a obra do Linhão de Tucuruí no fim do mandato de Jair Bolsonaro.

De acordo com o porta-voz da Presidência da República, Otávio do Rêgo Barros, a decisão tomada nessa quarta-feira (27) pelo Conselho de Defesa Nacional vai acelerar os processos burocráticos e a análise de licenças ambientais.

A construção da linha de transmissão começou em 2011, deveria ter sido concluída em 2015, mas foi interrompida. O ex-presidente Michel Temer chegou a anunciar a retomada no ano passado, mas não ocorreu. Agora, a nova previsão é de que os trabalhos no Linhão de Tucuruí recomecem a partir do mês de julho e durem aproximadamente três anos.