Empregadas tramaram morte da patroa pecuarista para roubar R$ 20 mil

Empregadas tramaram morte da patroa pecuarista para roubar R$ 20 mil

COMPARTILHAR
Delegado Friancis, encarregado do caso esclarecido 18 horas após crime.

Investigações por policiais da Delegacia de Roubos e Furtos – DERF e GOI – Grupo de Operações e Investigações da Polícia Civil, esclareceram o assassinato da pecuarista Andreia Aquino Flores, 38 anos achada morta na casa dela no final da manhã desta quinta-feira, e prenderam em flagrante os criminosos, as duas empregadas da vítima e um primo delas.

A polícia foi acionada por um morador no condomínio sobre o achado do corpo, depois que ele foi chamado por Jessica (24), e sua mãe Lucimara 43 anos, ambas empregadas de Andréia. Inicialmente, mãe e filha disseram que, pela manhã, foram ao Fort Atacadista fazerem compras para a vítima, utilizando o carro dela, um Jeep Compass.

Já no enredo do crime, alegaram que após as compras, teriam sido rendidas por dois bandidos que já estariam dentro do veículo, quando teriam sido obrigadas a seguirem com o veículo até a residência da vítima. No interior da casa, Andréia foi amarrada em um quarto e os ladrões teriam roubado alguns eletrônicos.

Segundo a versão inicial, os assaltantes também teriam amarrado Jessica em outro quarto, sendo Lucimara obrigada a deixar os ladrões no Bairro Tiradentes usando o veículo da vítima. Após isso, Lucimara retornou ao condomínio com o veículo, ao mesmo tempo em que Jessica teria conseguido se livrar das amarras e constatado que Andréia estava morta no quarto.

Com base nas informações, equipes da DERF, com apoio do GOI, iniciaram investigações sobre a dinâmica do caso, quando descobriram que a versão de mãe e filha fantasiosa e que as duas estavam envolvidas na morte da vítima e que haveria um terceiro participante.  Os investigadores apuraram que no estacionamento do atacado, o veículo da vítima foi aberto através de controle pelas duas mulheres que finalizavam as compras, justamente para a entrada de apenas um indivíduo no banco traseiro.

Questionadas sobre os detalhes, as mulheres acabaram revelando a verdadeira trama para o crime. Segundo a versão apurada, confirmada por provas, perícias e depoimentos, Lucimara convidou o cunhado, de 23 anos, para simular um roubo contra vítima, mas Andréia tentou reagir e ele a matou através de esganadura, a asfixia mecânica.

Arma falsa

Para simular o roubo, no trajeto entre o supermercado e a residência da vítima, o trio parou e comprou um simulacro de arma de fogo, apreendido na bolsa de Jessica. Também ficou esclarecido que os criminosos confessos pretendiam obter cerca de R$ 20 mil, que exigiriam da vítima mediante transferência através de PIX no momento do assalto. Mãe e filha foram presas em flagrante pelo crime de latrocínio. A DERF segue em ações para capturar o terceiro latrocida e que estaria de posse do que foi roubado da vítima.