Empresários que instalaram placas fotovoltaicas criticam proposta da Aneel de taxar energia...

Empresários que instalaram placas fotovoltaicas criticam proposta da Aneel de taxar energia solar

COMPARTILHAR

Empresários de Campo Grande que investiram na instalação de placas fotovoltaicas para a produção de energia limpa e, dessa forma, reduzir a conta de energia criticam a proposta da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) de alterar as regras e passar a cobrar pela energia solar que o consumidor gera. Para eles, a medida trará prejuízos para quem já instalou sistemas fotovoltaicos, além de desestimular novos investimentos em energia limpa.

Esse é o caso do empresário Abdo Magid João Neves, da Polpa Norte, que investiu R$ 135 mil em março de 2018 para instalar 90 placas fotovoltaicas em sua empresa. “Foi tudo com recursos próprios e realmente valeu a pena porque minha conta caiu de R$ 3.500,00 para R$ 140,00, uma redução de 90,67%. Porém, essa notícia de aumentar a cobrança para quem gera sua própria energia deixa a gente revoltado porque foi um investimento alto e agora ainda terei de pagar a mais porque as concessionárias hoje estão lucrando menos”, afirmou.

Na mesma linha, o empresário Carlos Targino, da empresa de materiais hospitalares Suprimed, viu o valor da conta de luz cair de R$ 2 mil para aproximadamente R$ 200, uma redução de 90%, depois de instalar um conjunto de placas fotovoltaicas por meio do Senai Empresa. “Investi um total de R$ 72 mil, financiado pelo Banco do Brasil, por meio do FCO (Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste), e estou realmente chateado com a possibilidade de novos encargos”, disse.

Segundo Carlos Targino, antes de decidir instalar as placas fotovoltaicas, foi preciso fazer uma análise da viabilidade econômica. “A gente simulou quanto seria o financiamento e em quanto tempo terminaríamos de pagar esse investimento todo, tudo na ponta do lápis. Uma notícia como essa da Aneel nos preocupa, porque esses cálculos deverão ser refeitos agora e o tempo de pagamento desse investimento deverá aumentar, causando prejuízo para mim e para todos que fizeram esse investimento também”, finalizou.

Também em busca de economia, o empresário Gustavo Diniz, da Academia Aquativa, realizou um investimento de mais de R$ 50 mil, tudo para reduzir a conta de R$ 1.400,00 para R$ 130,00. “Foi uma redução de 91% e fez toda a diferença no meu orçamento. Agora descubro que vou ter de pagar a mais por esse investimento e acho isso revoltante.

Em um primeiro momento, nós empresários somos motivados a investir em novas fontes de energia, que, além de reduzir custos, melhoram o meio ambiente. Agora, depois que vários fizeram um investimento alto e começam a sentir no bolso a diferença, querem mudar as regras. Daqui a pouco vão cobrar sobre incidência solar”, finalizou.

Com Assessoria