Esclarecendo casos de roubos, Choque também desmonta esquema de tráfico

Esclarecendo casos de roubos, Choque também desmonta esquema de tráfico

COMPARTILHAR
Maconha seria de presidiários.

A operação do Batalhão de Polícia Militar de Choque que levou ao esclarecimento de assaltos e furtos cometidos por dois homens em Campo Grande e que acabou na morte de um dos ladrões, também levou ao desmantelamento de esquema de tráfico conforme a polícia, orquestrado por internos nos Presídios de Segurança Máxima em Campo Grande e de Dourados, apreensão de quase 30 quilos de maconha e dois veículos utilizados em crimes de tráfico, furtos e assaltos.

Após a localização do Celta usado pelos ladrões e que estava sobre um guincho, equipe do Choque localizou a contratante do transporte, que disse ter recebido ligação do marido, interno no Presídio de Segurança Máxima na capital, para ir até a casa onde o Celta era guardado e o guinchasse. Era a casa onde estava Bruno, preso durante o confronto.

Em uma casa abandonada no mesmo local, os policiais apreenderam uma caixa contendo 29 tabletes de maconha, que a moradora, 25 anos, disse estar apenas guardando a pedido de “Alex Neguinho”, interno na Penitenciária de Segurança Máxima de Dourados.

Os tabletes teriam chegado em um Voyage, que a equipe do Choque avistou nos fundos do quintal, indicando que o local na prática se tratava de um depósito de drogas, sendo apurado que o veículo pertencia a Kleyton, 36 anos.

Foi acionado o Canil do BPMChoque e um cão farejador sinalizou a existência de maconha no Voyage, sendo encontrado e aberto um compartimento (mocó) onde estavam tabletes de maconha, que Kleyton disse não saber que estavam ali.

Bruno, Kleyton e a mulher foram presos em flagrante, sendo o Celta recolhido na Defurv e o Voyage com a droga entregues no deposito da Denar. A operação resultou em prejuízo de R$ 85 mil a crime organizado para o narcotráfico.

O Celta dos crimes.