Espanha reelege Pedro Sánchez em acirrada campanha

Espanha reelege Pedro Sánchez em acirrada campanha

COMPARTILHAR
(Foto: José Jordan/AFP/CB)

A Espanha reelegeu neste domingo (28) o presidente Pedro Sánchez, do PSOE, naquelas que foram as mais disputadas campanhas para o comando do país. Ele, no entanto, dependerá de uma ampla coligação para governar, já que não conseguiu as 176 cadeiras necessárias para obter maioria no Parlamento.

Segundo as primeiras pesquisas de boca de urna da GAD3 para a RTVE, o Partido Socialista garantiu entre 116 e 121 cadeiras do Parlamento. Caso feche um acordo com o Unidas Podemos, Sánchez poderá ter até 166 deputados em sua base de apoio.

A boa notícia para Sánchez, de acordo com as pesquisas de boca de urna, é que os partidos que assinaram a moção de censura que derrubou Mariano Rajoy do poder podem ter feito até 195 cadeiras no Parlamento. Sánchez sucedeu Rajoy. A grande surpresa das urnas foi o Vox, partido de extrema direita, que obteve, também segundo a boca de urna, cerca de 12% dos votos e fez entre 36 e 38 parlamentares. É a primeira vez, desde a redemocratização da Espanha, que a direita radical se fará presente no Congresso.

Apesar do descrédito em relação aos políticos, os espanhóis surpreenderam os especialistas e marcaram presença nas seções eleitorais acima do esperado. Mais de 61% dos cidadãos aptos a votarem cumpriram o papel previsto na democracia. Em 2016, pouco mais de 51% dos espanhóis foram às urnas.

Os maiores crescimentos se deram nas regiões da Catalunha, de Aragão, de Madri e de Castilla-La Mancha. A última vez em que mais de 70% dos eleitores votaram na Espanha foi em 2008, com a reeleição de José Luis Zapateiro.

Com Correio Braziliense