Ex vice prefeito e ex-presidente da Câmara de Ponta Porã foi preso...

Ex vice prefeito e ex-presidente da Câmara de Ponta Porã foi preso com meia tonelada de cocaína

COMPARTILHAR
Cocaína pura na aeronave.

Antônio Coca

O piloto Nélio Alves de Oliveira de 70 anos e o copiloto Júlio Cesar Lima Benitez, de 41 anos, foram os dois homens presos por policiais da Força Tática da Polícia Militar de Nova Andradina, depois de serem obrigados a um pouso forçado depois que a aeronave foi atingida por vários tiros de advertência quando eram perseguidos por aviões Super Tucanos da Força Aérea Brasileira (FAB) na manhã deste domingo. Tiros chegaram a atingir poltronas do avião.

Alguns disparos atingiram aeronave dos traficantes que optaram pelo pouso..

Nélio pilotava um avião Baron B 58 que foi interceptado e inicialmente deveria pousar no Aeroporto de Três Lagoas, mas arremeteu no momento de tocar a pista. Ele foi perseguido e após voar por cerca de meia hora pousou entre os municípios de Novo Horizonte do Sul e Navirai em Ivinhema.

Nélio que já tinha sido preso nos anos 90 e cumpriu pena no Presidio de Tacumbu em Assunção já foi vice prefeito de Ponta Porã na gestão de Carlos Froes e presidente da Câmara de Vereadores da cidade. Ele e Júlio Cesar fugiram para uma área de preservação ambiental e foram localizados pelos militares em uma ação que contou com a participação de várias força policiais.

Ex-vice e ex-vereador no Brasil e narco ex-presidiário no Paraguai.

A prisão dos dois aconteceu dentro da Operação Ostium e no avião que eles estavam, matrícula prefixo PR VCZ foram encontrados 510 quilos de cocaína e cloridrato de cocaína. Nélio e o copiloto foram levados para a Delegacia Regional da Polícia Federal de Dourados onde estão sendo indiciados.

Traficantes presos pela Força Tática de Nova Andradina.

Em outra ação a FAB (Força Aérea Brasileira) interceptou, uma aeronave monomotor, modelo EMB-720 Minuano. O monomotor foi abordado por um A-29 e passou pelos procedimentos de averiguação e persuasão. A aeronave foi escoltada até o pouso obrigatório em Rondonópolis, Mato Grosso, onde a Polícia Federal assumiu as ações. Os pilotos da aeronave foram presos em flagrante e 450 quilos de cocaína foram apreendidos.

Na tentativa de escapar da interceptação pela FAB, Baron ficou sem combustível.