Fábio Trad faz parte da comissão do novo Código de Processo Penal

Fábio Trad faz parte da comissão do novo Código de Processo Penal

COMPARTILHAR

Em seu primeiro dia de trabalho no retorno ao Congresso Nacional, o deputado federal Fábio Trad (PSD-MS) conquistou mais uma grande vitória para Mato Grosso do Sul, recebendo o convite para assumir uma cadeira como integrante da comissão que discute o PL 8045/10, projeto que propõe a reforma do Código de Processo Penal no Brasil. O chamado foi feito pelo próprio presidente da comissão, Danilo Forte (DEM-CE), e respaldado pelo novo líder do Partido Social Democrata na Câmara, o deputado Domingos Neto (PSD-CE).

“O deputado Fábio Trad foi o nome escolhido pela experiência, notório saber jurídico e, sobretudo pela habilidade política no comando do debate que conduziu à aprovação do Código de Processo Civil em 2015, tido por alguns desta Casa como o último momento fecundo de produção legislativa do País. São poucos os que vão para a Câmara Federal e deixam uma obra pronta e o deputado Trad é uma dessas raras figuras. Essas e outras virtudes o credenciam a assumir a vaga na comissão”, destacou o deputado Domingos Neto.

Criado na década de 1940, antes mesmo da Constituição Brasileira de 1988, o Código de Processo Penal é tido por especialistas como um documento extremamente obsoleto e autoritário do ponto de vista jurídico, tendo como referência ainda o Código Francês de 1808 de Napoleão Bonaparte. A defasagem é tamanha que prejudica o trabalho de juízes, membros do Ministério Público, advogados e até mesmo de delegados de polícia.

Para Fábio Trad (PSD-MS), que é advogado especialista na área, o relatório do novo Código de Processo Penal já está maduro para ser votado na Câmara, no entanto ainda há espaço para acrescer ou suprimir dados no sentido de aperfeiçoar o texto. “Nossa contribuição será no sentido de aperfeiçoar o texto, contribuindo para transformar o novo Código de Processo Penal num instrumento que garanta a racionalidade da aplicação da lei penal, mais celeridade, menos burocracia, mais eficácia, sem afetar os direitos e garantias individuais do cidadão, condição primordial para que nós não atropelemos os princípios prescritos na Constituição Federal”, disse, que inicia os trabalhos já na próxima semana pós-carnaval.

“Estou honrado com a indicação e o convite, ainda mais sabendo que até então não havia nenhum deputado sul-mato-grossense representando nosso Estado neste debate tão importante e estratégico para a segurança pública do País. Sinto-me pronto a ajudar o Brasil a ter um Código de Processo Penal moderno, menos burocrático e que ajude a resolver o grave problema da criminalidade sem afetar os direitos e garantias individuais do cidadão. Estamos prontos e firmes para essa nova batalha. Avante!”

Com assessoria