Fachin inocenta Lula que recupera direito de votar e ser votado

Fachin inocenta Lula que recupera direito de votar e ser votado

COMPARTILHAR

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin, anulou todos os processos contra ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva conduzidos pela 13ª Vara de Justiça Federal do Paraná no âmbito da Operação Lava-Jato. Os processos se referem ao triplex do Guarujá, do Sítio de Atibaia e Instituto Lula. Com a decisão do ministro, o Lula recupera seus direitos políticos. Fachin, que tomou a decisão de forma monocrática, sempre foi defensor da Lava-Jato.

Na decisão, Fachin considerou a Justiça Federal do Paraná incompetente para tocar os processos, que passarão a ser avaliados pelo Justiça Federal do Distrito Federal. Segundo o ministro, o tribunal do DF decidirá se os atos levantados pela Justiça do Paraná podem ser aproveitados e validados. A decisão de Fachin ainda será analisada pelo Plenário do Supremo.

Sérgio Moro

A defesa de Lula vinha alegando ao STF que os processos contra o ex-presidente estavam contaminados pela parcialidade dos procuradores e do ex-juiz Sergio Moro na condução das investigações. Muitos diálogos vazados por hackers indicam que muitas provas contra Lula foram forjadas, a ponto de criarem testemunhas. Os procuradores e Moro negam as irregularidades.

Por conta desses processos, Lula foi preso em abril de 2018 e perdeu seus direitos políticos, sendo a prisão determinada em processo sobre o triplex do Guarujá. Para Fachin, os processos contra o petista não têm nada a ver com o esquema de corrupção da Petrobras. Portanto, não poderiam estar vinculados à Lava-Jato.