Festival acaba em fuzilaria mortes e tumulto no interior do Paraguai

Festival acaba em fuzilaria mortes e tumulto no interior do Paraguai

COMPARTILHAR

Antônio Coca

Duas pessoas mortas, outras quatro feridas e grande tumulto é o saldo de tiroteio ocorrido na noite deste domingo (30) no anfiteatro José Assunção Flores, na ciddae de em San Bernardino, Paraguai. Milhares de pessoas estavam no local participando do festival de Ja’umina.

Um evento que deveria ter sido apreciado por milhares de pessoas se transformou em uma cena de terror. O anfiteatro José Assunção Flores em San Bernardino reabriu suas portas para o festival Ja’umina. No evento começou pouco depois das 15h e se transformando em cenas de terror estava prevista várias atrações com apresentação do grupo Binomio de Oro, Damas Gratis, o cantor e compositor uruguaio Lucas Sugo, Néstor en Bloque, Ke Personas e Talento de Barrio, entre outros.

Com cerca de 80% da lotação e imagens compartilhadas nas redes sociais pelos participantes do festival, o evento seguia normalmente quando tiros e mais tiros foram ouvidos. No momento dos tiros começou uma corrida desesperada por parte das pessoas tentando se abrigar ou sair do local ou se jogando no chão.

Modelo morta

Uma testemunha disse que foi um homem quem efetuou os disparos na área do banheiro do setor VIP. Um dos titos atingiu a cabeça da modelo Cristina Vita Aranda, empresária, modelo e esposa do jogador do Olimpia, Iván Tito Torres.

Outras pessoas relatam que em seguida o atirador pulou em uma área arborizada e fugiu. Conforme o portal Ultima Hora, devido à gravidade do ferimento, a mulher foi rapidamente transferida para o Hospital Nacional de Itauguá, onde chegou entubada, mas morreu pouco tempo depois. Outra vítima, Marcos Mora Rojas, morreu dentro do anfiteatro. Outras quatro pessoas ficaram feridas: José Ruíz, Daniela Barrientos, Sadi Bonzi e Marcelo Montegia.

Informações não oficiais indicam que o alvo poderia ter sido um homem suspeito de ser traficante de drogas, mas a informação ainda não é confirmada pelas autoridades. O público presente criticou a falta de controle para entrada no fstival. Foi denucniado ainda que o cartão de vacinação contra a Covid-19, requisito para esse tipo de atividade, nem era solicitado.

O Ministério Público do Paraguai formou uma equipe especial de promotores para investigar o tiroteio. Além disso, a Polícia Nacional, através do Departamento de Criminalística, está no anfiteatro fazendo levantamentos.